LOG&PRINT PASSA A SER CONTROLADA PELA PRINT LAZER E PREVÊ AUMENTO DE NEGÓCIOS E POSTOS DE TRABALHO

Depois de enfrentar uma grande crise no último ano, reduzindo em 50% o número de trabalhadores, chegando a 400 gráficos, a Log&Print, em Vinhedo, promete nova reestruturação a partir desta sexta-feira (30). A empresa, que cogitava fazer uma fusão com a Editora Abril, acabou se agregando a outras empresas, em destaque a Print Lazer, que fez fusão com a Xerox do Brasil. A Print Lazer, que nasceu em Vinhedo em 1993, mudando-se para a cidade de Barueri e já com filiais no Estado do Rio de Janeiro e da Bahia, passa a controlador hoje a Log&Print e já trocou todos os gestores da empresa. O processo começou há alguns meses. Sobre a nova etapa da Log&Print, que inclusive adquiriu recentemente a Pearson Editora e comprou antes a Total Print, a pretensão da Print Lazer é expandir os negócios nas áreas de dados variáveis e no setor editorial, como também ampliar o número de trabalhadores consequentemente. A informação foi repassada ao Sindicato da categoria (Sindigráficos) pelo diretor geral da Print Lazer, Alexandre Batista, em reunião recente. Na ocasião, os sindicalistas aproveitaram para informar que não aceitam a retirada de direitos dos empregados já trabalhando no local, ou que haja distinções com os novos que venham a ser contratados, como é previsto.

Segundo Batista, haverá inclusive mudanças tecnológicas no interior da Log&Print. Máquinas com capacidade para pequenas tiragens também passarão a existir no local para atender todas as demandas do mercado.

Contudo, o Sindigráficos reinterou para a necessidade da manutenção dos direitos trabalhistas existentes, a exemplo da renovação do Acordo de Jornada de Trabalho (ACT), onde garante inclusive folgas em certos sábados para gráficos de turnos específicos.

“E entre outras questões, a garantia do percentual atual do adicional noturno concedido aos gráficos há muitos anos”, ressaltou Leandro Rodrigues, presidente do Sindicato.

Todavia, a garantia de direitos e os respectivos avanços sempre estarão condicionados a capacidade de unidade e organização dos empregados em defesa das referidas reivindicações.

“Logo, os gráficos da Log&Print devem se manter dispostos e conscientes deste indispensável princípio da luta da classe trabalhadora . E também deseja sucesso para que a empresa volte a crescer e a contratar, mas sem, com isso, prejudicar os empregados”, frisa Rodrigues.

Hoje existem três sindicalistas oriundos da Log&Print e que continuarão no próximo mandado da direção sindical depois da eleição eleitoral que será realizada nos próximos dias 4 e 5 de julho. São eles: Jurandir Franco, Valdir Ramos e Valéria Simionatto.