MAIORIA DOS GRÁFICOS DA CUNHA FACCHINI SE SINDICALIZAM EM BUSCA DE DIREITOS; CENÁRIO É SIMILAR NA EMPRESA GONÇALVES

goncalvez1Os trabalhadores gráficos da região de Jundiaí têm entendido cada vez mais que para garantir maior proteção contra irregularidades patronal e conquistar mais direitos na empresa, precisa se unir ao Sindigráficos. Em menos de 20 dias após o início da primeira etapa da Campanha de Sindicalização ao Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Gráficas de Jundiaí e Região (Sindigráficos), a quantidade de gráficos sócios ao órgão de classe cresceu em 10%. O número mostra que a categoria tem buscado maior proteção em defesa da manutenção e da ampliação dos direitos. Um exemplo pode ser visto na empresa Cunha Facchini, onde o sindicato tem atuado de perto para garantir melhorias nas questões relacionadas a saúde e segurança dos empregados, além de outras questões. Dos 80 funcionários, mais da metade já estão sindicalizados. Houve um aumento de 20% de novos sócios. O perfil combativo do Sindigráficos chegou ao conhecimento da maioria dos trabalhadores da recém-chegada empresa Gonçalves na Região, que legitimaram o trabalho da entidade através da atual filiação. Em apenas dois dias, grande parte dos funcionários se sindicalizaram.


goncalvez2“O nosso sindicato preza por lutar e defender o interesse dos gráficos”, ressalta Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos. O dirigente entende que os empregados estão se sindicalizando neste sentido. Ele conta que os trabalhadores da Gonçalves, por exemplo, apesar de mal chegarem à região, filiaram-se, e já apresentaram reivindicações, como a exemplo da redução da jornada de trabalho, e um horário de trabalho que permita melhorías no convívio social. Sabem que unidos e mobilizados junto com o sindicato este pleito se tornará uma realidade. A empresa funciona em três turnos e a jornada de trabalho é de segunda-feira à sábado. A reivindicação é para garantir folga em sábados alternados, assim como acontece em outras gráficas da Região. O Sindigráficos já prepara a reivindicação e deverá mostrá-la a partir da campanha salarial desde ano, que se aproxima.

facchinni1Elevado número de sindicalização também ocorreu na Cunha Facchinni. “Os trabalhadores reconhecem a nossa atuação em defesa deles”, fala Rodrigues. O sindicato tem feito um forte monitorado na empresa para evitar acidentes de trabalho em função do não atendimento da Norma Reguladora nº 12 – aquela que regula o funcionamento adequado das máquinas. Desde do ano passado, com o apoio de órgãos públicos, o Sindigráficos tem conseguido fazer com que seja atendida as normas vigentes de saúde e segurança dos funcionários. Além disso, já atuou no sentido de garantir aos trabalhadores(as), que tem filhos pequenos, o auxílio-creche. O benefício garante quase R$ 5 mil por ano para quem tem filho de até 3 anos, além de outras lutas e conquistas trabalhistas.

goncalvez3A primeira fase da campanha de sindicalização termina no dia 30, um dia antes da Festa dos Gráficos de Jundiaí, voltada apenas para os trabalhadores sindicalizados. Espera-se cerca de 3 mil pessoas. A nova etapa da campanha será realizada a partir do mês de julho. O sindicato já estuda novas formas de continuar estimulando o trabalhador a se associar. Haverá sorteio mensal para os novos sindicalizados passarem um fim de semana na colônia de férias da entidade, em Itanhaém. Outra novidade é que o trabalhador que indicar cinco gráficos para se filiar, vai ganhar, sem sorteio, um fim de semana também na colônia, com direito a levar cônjuge e filhos de até 17 anos. Entretanto, Rodrigues destaca que a principal função da sindicato e da sindicalização é a de garantir e avançar nos direitos da categoria. Desse modo, seguindo o exemplo ocorrido na empresa Gonçalves, o dirigente orienta os interessados em se associar ao órgão para levar denúncias de irregularidades patronais e sugestões de novos benefícios dentro da empresa em que trabalha.