MEGA EMPRESA DE EMBALAGENS FLEXÍVEIS, DO SETOR GRÁFICO, CONSTRÓI SUPERCOMPLEXO PARA 2,5 MIL EMPREGOS EM CABREÚVA

Embora a pandemia afetou a economia brasileira no geral, não se pode dizer que todas atividades e negócios foram afetados. Empreendimentos continuam em maior ou menor ritmo. Em Cabreúva, por exemplo, avança um superprotejo da Zaraplast – mega empresa do setor de Embalagens Flexíveis, do mesmo ramo gráfico da Inapel (Jundiaí), sendo que já possui três unidades (São Paulo, Guarulhos e Cajamar). Informações informais revelam que o novo complexo industrial incorporará as demais unidades, onde deve gerar 2,5 mil postos de trabalho. O Sindicato dos gráficos local (Sindigráficos) foi acompanhar de perto as instalações na última semana.

“Descobri que já tem trabalhadores, mas a empresa não está enquadrada como gráfica ainda, gerando consequência negativa para os funcionários, porque eles ficam excluídos dos 90 direitos superiores à CLT contidos em nossa Convenção Coletiva de Trabalho (CCT). Ficam de fora inclusive do piso salarial de quase 1,7 mil, vale-alimentação e PLR anual no valo de quase R$ 900”, explica Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos.

Para tentar resolver esta questão, o Sindigráficos comunicará a Zaraplast da necessidade do enquadramento adequado, visto que suas atividades principais dizem respeito ao segmento gráfico, exceto sua fábrica de tinta. A empresa tem até a sua própria clicheria, que também é do ramo gráfico. É competitiva no mercado de embalagens flexíveis, inclusive laminadas. Fornece a vários segmentos, como o ramo alimentício, nutrição animal, higiene e limpeza, agronegócio, químico e petroquímico e muitos outros.  

O Sindigráficos se preparava para solicitar o enquadramento da unidade em Cajamar, município que integra a base territorial de sua representação sindical. Porém, com a chegada da pandemia e das diversas medidas governamentais de restrição social, estas que estão sendo revistas agora, o sindicato estará priorizando a questão. A entidade concentrará sua ação na mega unidade em Cabreúva, já que deve incorporar as demais plantas.

“Já estamos elaborando, com a ajuda da Federação Paulista dos Gráficos (Ftigesp), que tem grande experiência acumulada na questão, um parecer técnico com todas especificações legais e técnicas para ser apresentado à empresa e solicitarmos o enquadramento sindical correto da Zaraplast baseado em sua própria atividade econômica principal, que é embalagem flexível, a mesma realizada pelas empresas Inapel e Coverplast, todas do setor gráfico e devidamente enquadradas como deve ser”, conta Leandro.