MESMO BRAGANÇA PRORROGANDO LOCKDOWN, ACORDO DO SINDICATO COM DONO DA AMARAL GARANTE PLR PARA TODOS OS GRÁFICOS NESTA SEXTA-FEIRA 

No mesmo dia de anteontem quando o prefeito de Bragança Paulista ampliou para 11 de abril a fase das medidas excepcionais restritivas atreladas ao plano estadual de enfrentamento à covid-19, o Sindigráficos buscava a proteção da vida, emprego e da renda dos trabalhadores das pequenas gráficas desta região. Em conversa com o proprietário da Gráfica Amaral, empresa onde 60% dos empregados já são sócios do sindicato e ninguém foi demitido na pandemia, o assunto foi o pagamento da PLR da categoria. Mesmo a empresa sofrendo com o fechamento do comércio desde o início do mês, quando um decreto municipal anterior já enquadrava o município na fase vermelha por conta das UTIs com uma ocupação total em função do grande número de doentes pelo coronavírus, o empresário confirmou que estará quitado a PLR nesta sexta-feira (2). 
 
Apesar de todas as dificuldades sanitárias e econômicas nesta conjuntura pandêmica, ampliadas e que tem perdurado por mais tempo por causa da falta de medidas do Governo Federal, a gráfica se comprometeu com o Sindigráficos quanto ao cumprimento dos direitos dos trabalhadores. E garantiu que fará o possível mesmo dentro do caos. A PLR é um desses direitos negociados pelo sindicato e que melhora a renda dos gráficos. O valor é definido pelo número de trabalhadores por empresa. No caso da Amaral, cada gráfico, se não tiverem falta no trabalho, receberá R$ 318. O proprietário da gráfica, mesmo não tendo como ter pago em 5 de março, como define a convenção, garantiu que pagará nesta Sexta-Feira Santa.
 
Em conversa franca com o sindicato, o dono da empresa também revelou que, em função do fechamento do comércio, setor que é o maior cliente das gráficas pequenas, não sendo diferente no caso da Amaral, tem feito com que a gráfica enfrente dificuldades quanto ao pagamento salarial dos empregados nos últimos meses. “No entanto, garantiu que ninguém tem ficado sem o vale-quinzenal e sua remuneração mensal, mesmo havendo pequenos atrasos excepcionalmente, porém, têm feito de tudo para evitar os atrasos quando assim é possível”, conta Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos.
 
Apesar do caos generalizado também na economia, o governo Bolsonaro ainda não anunciou nenhuma medida para socorrer ninguém. Em 2020, por sinal, havia medidas que permitiram até suspensão do contrato de trabalho temporariamente. Assim, os gráficos eram pagos pelo seguro-desemprego, protegendo o emprego e a renda do trabalhador, e sendo uma alternativa para as empresas sobreviverem neste período mais difícil de lockdown parcial ou não. A metade do quadro de gráficos da Amaral foi incluído nesta medida no ano passado, e todos continuam empregados.  
 
“Embora passamos por um cenário caótico, nosso papel é o de lutar pela vida, emprego, renda, direitos e pelas condições de trabalho dos gráficos. Assim faremos, mas sempre com diálogo franco e em busca de meios junto com as empresas, como ocorre agora com o dono da Amaral, onde ele se comprometeu em evitar os atrasos do vale e do salário e a pagar a PLR nesta sexta. Esperamos a mesma atitude de todos os empresários de Bragança Paulista e das demais cidades de nossa região de atuação sindical. E esperamos bem mais poder contar com todos os trabalhadores para o fortalecimento do sindicato através da sindicalização em massa, inclusive dos gráficos ainda não-sócios da Amaral. SINDICALIZE-SE!”, convoca Leandro.