MULHERES GRÁFICAS DEBATEM DOMINGO EM JUNDIAÍ TÁTICAS CONTRA O FIM DA APOSENTADORIA E DIREITOS TRABALHISTAS

Neste domingo (25), trabalhadoras gráficas sindicalizadas se reúnem na sede regional de Jundiaí do Sindicato da classe na região (Sindigráficos) para debaterem durante o tradicional evento sindical neste mês mundial  da mulher. Na programação, além do bingo recreativo, as participantes de várias cidades e empresas poderão traçar táticas para elas buscarem reações a fim de manterem o direito às suas aposentadorias que Temer e os políticos aliados querem acabar através da reforma previdenciária. Será também oportuno para buscarem elevar a unidade entre si e juntas ao sindicato, através da participação e sindicalização, a fim de buscarem fazer a resistência nas gráficas contra aplicação da nova lei trabalhista, que tem elevado desemprego e reduzido salarial/direito de quem labora.

As mulheres sindicalistas da classe também puxarão atos de desagravo frente ao extermínio da vereadora carioca Marielle e ao espancamento de professoras paulistanas, como a docente Luciana que teve seu nariz quebrado pela GCM/PM porque protestava contra redução salarial posta pelo prefeito Dória através de uma reforma previdenciária nesta cidade. “Além da violência absurda contra a mulher, ambos os fatos mostram a violação ao direito das mulheres de se representarem na política, como no caso da Marielle, bem como contra quem discorda da injustiça como fez Luciana”, denuncia Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos.

Mais do que nunca as mulheres não podem se calar diante da injustiça e do atentado aos direitos constitucionais. É preciso uma reação coletiva também porque a violência contra a mulher será generalizada frente os impactos da reforma previdenciária de Temer e políticos aliados, se esta medida for aprovada após eleições para presidente, senador, deputado federal/estadual e para governador este ano. E a mulher terá um papel decisivo neste processo decisivo.

“Qual será o papel das trabalhadoras gráficas e demais profissionais na eleição: votar em  políticos favoráveis a reforma da Previdência, ou nos que são contrários para preservarem direitos previdenciários?”, pergunta Fé Juncal, presidente da Associação de Aposentados da Região, que será palestrante no evento de domingo.

O balanço dos primeiros prejuízos da aplicação da reforma trabalhista contra os empregos e direitos de homens e mulheres gráficas da região também serão apresentados durante o encontro.

A partir do prognóstico, as profissionais presentes serão inclusive chamadas para reflexão sobre o papel delas para elevação da unidade entre si e das demais mulheres da classe em torno do Sindigráficos de modo a fortalecer a resistência conjunta da categoria nas gráficas para frear os ataque com a nova lei. “Sem isso, sem luta e sem apoio ao Sindicato para a entidade continuar forte, os direitos coletivos e salários da classe ficam vulneráveis ainda mais diante da nova lei”, detalhará Rodrigues durante o evento domingo.