NA PRESIDÊNCIA DESDE 2016, QUANDO A TOMOU DO POVO, TEMER JÁ CONSEGUE BATER RECORDE EM DESEMPEGO NO PAÍS

A taxa de desemprego do ano de 2017 ficou em 12,7%. No total,  são 13,23 milhões de pessoas sem trabalho. Isso representa o maior contingente anual de pessoas desempregadas, reconhecido pela série histórica da Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílio Mensal (Pnad), organizado pelo IBGE. E para 2018, apesar de Temer ter aprovado no ano passado uma lei de reforma trabalhista que deixa os patrões retirarem os direitos dos empregados, analistas estimam que a taxa média do ano deva ficar nesta elevadíssima casa 12% de desempregados.
O contingente com carteira caiu de 34 milhões para 33,3 milhões de pessoas. O número de desempregados cresceu em 1,47 milhão de pessoas em relação a 2016. Além disso, com a famigerada reforma trabalhista em curso,  o emprego com carteira assinada, tradicionalmente protegida pelas leis trabalhistas, deu lugar às posições sem carteira ou de trabalho por conta própria, que são pequenos empreendedores ou autônomos. Esses postos são considerados de menor qualidade e segurança.