NOVA FLEX DEIXA DE PAGAR PLR DOS GRÁFICOS NÃO-SÓCIOS AO SINDICATO. ÓRGÃO ALERTA PARA AMEAÇAS AOS DIREITOS

Na última quinta-feira (5), venceu o prazo para todas as gráficas e jornais de Cajamar, Jundiaí, Vinhedo e região pagarem 1ª parcela da bonificação financeira conseguida pelo Sindicato para os trabalhadores da categoria. Pela definição na última campanha salarial, segundo aponta a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), os gráficos dos jornais devem receber o plus salarial de R$ 432,26. Já os trabalhadores das gráficas, a depender do número de profissional da empresa, devem ganhar de R$ 318 a 467, se não tiverem faltas injustificadas no último ano. Apesar da garantia desse dinheiro a mais, têm gráficos que ainda não reconheceram a importância do sindicato e não se associam. Assim, deixam de fortalecer a entidade e também os direitos conquistados. Há empresas que se aproveitam disso e não pagam essa Participação nos Lucros e Resultados (PLR) e sequer justificam, como acaba de repetir agora na gráfica Nova Flex em Itupeva.

Apesar dos alertas do sindicato aos trabalhadores da gráfica nos últimos anos, a Nova Flex não pagou a PLR de ninguém na última quinta. Nenhum deles estava associado e a empresa não se deu ao trabalho de informa-los pelo descumprimento do direito conquistado pelo sindicato da classe. “Não é a primeira vez que isso ocorre. Espero que isso mude. Basta que o gráfico se sindicalize. Estará protegido e ainda contará com descontos em clube de campo, em parques de diversão e aquáticos, em convênio odontológico e no Recanto do Gráfico na praia de Itanhaém”, fala Jurandir Franco, diretor do Sindigráficos.

Enquanto os gráficos da Nova Flex não se associam, o que já faz um bom tempo, repete-se esse problema no cumprimento de alguns dos direitos superiores à CLT, sendo os trabalhadores responsáveis pela fragilização da unidade e organização sindical deles no local, percebido pela empresa. É hora dos gráficos se sindicalizarem e fortalecerem o sindicato para terem seus direitos protegidos. Esse é uma tarefa de todos os gráficos da região.

Jurandir conta que a PLR é apenas um dos direitos que o Sindicato tem defendido. A cesta básica mensal é um outro concedido devido a atuação sindical direta. “Não só garantidos o beneficio alimentício, como também há até negociamos aumento do valor há alguns anos na Nova Flex. Falta só o trabalhador se sindicalizar. Também resolvemos problema no FGTS deles, mas ninguém se sindicalizou ainda. Agora, voltam a sofrer com o não pagamento da PLR, o que não é novidade na empresa”, diz o diretor. O Sindicato notificou a gráfica para prestar esclarecimentos pelo ocorrido.