NOVO CEO DA LOG&PRINT, EM REUNIÃO NO SINDICATO, ANUNCIA MUDANÇAS E ASSUME GARANTIA DOS DIREITOS DOS GRÁFICOS

Há dois meses no topo da hierarquia empresarial da gráfica Log&Print, em Vinhedo, o acionista Caio Gracco, indicado pelos acionistas do grupo para CEO da companhia, também é diretor Financeiro do grupo. Na última sexta-feira (6), o gestor, que tem novos planos de negócios para empresa, foi o convidado do Sindicato dos Trabalhadores (Sindigráficos) para falar um pouco a respeito, bem como resolver problemas deixados pela direção anterior em relação aos direitos dos gráficos, a exemplo de horas-extras não pagas e supostas pendências em relação ao FGTS nesta pandemia.

Solícito, Caio não só compareceu, como fez questão de manter o diálogo e um canal de contato direto com o sindicato. Também se comprometeu em verificar o caso do FGTS e das horas-extras baseadas em um acordo anual de jornada de trabalho, iniciado em fevereiro, antes da pandemia.  O CEO garantiu levantar o saldo devedor das horas-extras individualizado por gráfico e apresentar nesta semana o cronograma para o pagamento. O Sindicato garante que existem muitos gráficos no aguardo da quitação.

Em relação ao FGTS, o novo gestor ponderou que há uma flexibilização legal sobre o depósito para vários meses durante a pandemia baseada em medidas governamentais. Apesar disso, o CEO ficou de analisar a situação dos 600 profissionais do local e constatar se a falta dos depósitos está em acordo com tal medida. Em caso de irregularidade, garantiu que fará um cronograma de quitação para ser apresentado ao Sindigráficos. Em vários meses da pandemia, houve queixa de que não houve depósito.

Uma nova reestruturação do plano de negócios da gráfica, inclusive com mudança de foco para clientes com tiragem medianas ao invés daquelas maiores, estará no radar do grupo econômico que tem grandes rotativas. O CEO justificou a necessidade da alteração do modelo atual não competitivo de modo a garantir sustentabilidade da empresa no mercado.

Caio, por sua vez, não detalhou quando ou como se dará tais alterações.  No entanto, toda reestruturação provoca impactos. Entretanto, não falou sobre demissões. Mas adiantou para o sindicato que se acontecerem, os desligamentos obedecerão a alguns critérios. Dentre eles, buscará saber primeiro dos próprios gráficos que desejarem sair. O gestor também falou do seu compromisso em pagar todas as verbas rescisórias com base na lei trabalhista. O Sindigráficos continuará acompanhando tudo de perto ao lado do interesse dos 600 gráficos da Log&Print e aproveita para pedir a todos que se sindicalizem para se autoprotegerem através do sindicato.