NOVO ENQUADRAMENTO SINDICAL DO DIÁRIOSP GARANTE PISO SALARIAL MAIOR E ACORDO MANTÉM VALOR MAIOR DA CESTA

DIARIO1 DIARIO2

Nos últimos 15 anos, o piso salarial dos empregados gráficos de jornais e das gráficas convencionais cresceu sempre acima da inflação, sendo que o ganho real foi maior para os trabalhadores das gráficas, em razão da maior participação nas atividades das campanhas salariais. O ganho foi 17% superior aos gráficos dos jornais. E hoje o piso nas gráficas é de R$ 1.280,40, que é R$ 274 maior ao pago nos jornais. Por esta razão, desde quando o Jornal Diário de São Paulo, em Jarinú, no interior do Estado, passou este ano a fazer serviços gráficos além da rodagem do jornal, a entidade de classe da categoria (Sindigráficos) luta para que todos os empregados sejam enquadrados sindicalmente como do setor das gráficas convencionais e não de jornais. A questão garante um piso salarial maior para todos. Em reunião na semana passada, a empresa oficializou ao sindicato que garantirá tal enquadramento e assim o piso com salário maior para todos, inclusive para os que rodam o jornal, e, até mesmo, para os novos funcionários que estão para ser admitidos. O Diário de SP também aceitou outras exigências do sindicato, sobretudo referente ao valor da cesta básica, que garantirá mais dinheiro no bolso do trabalhador do jornal, enquadrado sindicalmente como sendo gráfica.   

DIARIO4“A empresa já apresentou um documento onde prova que todos gráficos estão recebendo salário com base no piso salarial de R$ 1.280,40”, diz Leandro Rodrigues, presidente do sindicato, que participou da reunião com representantes do Diário de SP na última quarta-feira (16), na sede do Sindigráficos. O dirigente conta que o jornal só resistiu em manter na área de jornal os gráficos que laboram na rodagem do Diário, posição esta que foi rechaçada pela entidade de classe. A empresa recuou da reivindicação e aceitou enquadrar todo o quadro de seus profissionais, que possui atualmente 80 empregados, mas, em breve, estará com 100. A notícia foi repassada pelos representantes da empresa. E, pelo acordo com o sindicato, os novos gráficos também terão o piso salarial maior.

Outra iniciativa sindical em favor dos atuais 80 trabalhadores do Diário, bem como para todos os novos, foi a garantia do direito da cesta básica com base no setor dos jornais. A ação garantirá para os empregados uma cesta básica com valor maior. Isso ocorrerá porque é menor o valor da cesta no setor das gráficas convencionais, segmento o qual estão sendo enquadrado sindicalmente para receber o piso salarial maior. “Na na realidade, não há nem definição de valor da cesta das gráficas, só uma sinalização com base no praticado nos mercados da região onde a empresa está instalada”, conta o sindicalista Jurandir Franco. A cesta do setor jornal é de R$ 140, já na área das gráficas não passa de R$ 90.

DIARIO3O Sindigráficos ainda resolveu os problemas de alguns funcionários com relação à falta de sincronia no horário do transporte público com o início do horário da escala de trabalho. A empresa se comprometeu em trocar tais empregados de horários para coincidir com o do ônibus.

Além disso, o sindicato também tratou de dois pontos de interesse dos trabalhadores do Diário. O primeiro trata-se da redução do desconto no salário do gráfico referente ao benefício da refeição. “É preciso deixar de cobrar a mais do funcionário que tem falta no mês”, disse Franco. Hoje a empresa cobra o dobro do valor para quem falta (R$ 120). O segundo ponto foi o não recolhimento do FGTS dos gráficos desde novembro do ano passado. A empresa assumiu analisar os dois pontos e dar uma resposta no dia 14 de outubro, quando haverá uma nova reunião com os sindicalistas.

Na ocasião, a empresa também se posicionará sobre um ponto também fundamental para os trabalhadores, que o Sindigráficos está defendendo. “Queremos que a empresa faça um acordo de jornada de trabalho”, diz Rodrigues. Porém, o dirigente adianta que para avançar nesta questão os trabalhadores precisam se juntar mais ao sindicato. A entidade já se planeja para ir até a empresa para buscar se reunir com os gráficos para tratar sobre propostas e encaminhamentos necessários.