SINDICATO CONFIRMA RENDA INTEGRAL DOS EMPREGADOS DA BRASILGRÁFICA NA UNILEVER, MESMO APÓS TRABALHO SUSPENSO

Depois da procura ao sindicato, preocupados por uma suposta perda salarial equivalente ao valor de um dia de serviço sem terem nenhuma culpa, pois a unidade da Unilever onde trabalham fechou em função da manutenção no último dia 13, todos os empregados da BrasilGráfica que atuam diretamente na Unilever Valinhos puderam se tranquilizar após o Sindigráficos esclarecer que a situação não passou de mal-entendido. Foi consultado o RH da matriz em Barueri. Apesar de a matriz estar em outra região, o sindicato atuou porque tem como prioridade a vida, o emprego e a renda da categoria. Da mesma maneira, a entidade sindical espera poder contar com a associação dos gráficos que ainda não são.

Com pouco mais de 40% dos gráficos na Unilever-Valinhos já sócios, o Sindicato foi atrás de informação em defesa da renda de todos os sindicalizados e também dos ainda não-sócios, na esperança que todos fortaleçam a luta. “Como sempre, a Brasil Gráfica, empresa onde nunca houve problemas, nos tratou bem e explicou que não procede qualquer desconto que venha a ser comentado pela parada da unidade onde trabalham em Valinhos. A informação foi do então RH (Adriana) em Barueri”, diz Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos de Cajamar, Jundiaí, Vinhedo e toda região.  

Além de tranquilizar a todos sobre este assunto, a gestora comunicou ao sindicato para transmitir aos trabalhadores sobre a importância de todos continuarem colaborando com a empresa, sobretudo diante da pandemia, que vem mantendo as atividades, apesar das dificuldades na economia.  O RH solicitou para que avaliem, em futuros episódios, a possibilidade de que sejam acordados certos dias de compensação, principalmente frente às interrupções do funcionamento habitual da unidade Unilever Valinhos, ou outra necessidade estrutural da Brasil Gráfica diante desta pandemia.

A Brasil Gráfica é um gigante do segmento nacional, tendo a sua base de operação maior na região de Barueri. Contudo, na área do Sindigráficos, mantém 12 trabalhadores na produção da unidade da Unilever Valinhos e mais dois gráficos na área administrativa do mesmo grupo empresarial. Independentemente do número de gráficos por empresa ou por unidade, o compromisso do Sindicato é com a vida, emprego e renda da categoria. Logo, somente juntos, os gráficos podem ser fortes. SINDICALIZEM-SE!

COVID-19 MATA POLICIAL EM JUNDIAÍ COM APENAS 29 ANOS DE IDADE E CORPO ATLÉTICO NESTA QUARTA-FEIRA

O sargento Rodrigo Rafael Correa, de 29 anos, lotado no 4º Batalhão da Polícia Rodoviária de Jundiaí morreu nesta quarta-feira (31), vítima de Covid-19. Ele é o terceiro sargento da Polícia Rodoviária a morrer por causa desse vírus, nas últimas semanas. Ele deixou a mulher e um filho de apenas seis anos de idade. LEIA MAIS


FONTE: Com informações do JR

MESMO BRAGANÇA PRORROGANDO LOCKDOWN, ACORDO DO SINDICATO COM DONO DA AMARAL GARANTE PLR PARA TODOS OS GRÁFICOS NESTA SEXTA-FEIRA 

No mesmo dia de anteontem quando o prefeito de Bragança Paulista ampliou para 11 de abril a fase das medidas excepcionais restritivas atreladas ao plano estadual de enfrentamento à covid-19, o Sindigráficos buscava a proteção da vida, emprego e da renda dos trabalhadores das pequenas gráficas desta região. Em conversa com o proprietário da Gráfica Amaral, empresa onde 60% dos empregados já são sócios do sindicato e ninguém foi demitido na pandemia, o assunto foi o pagamento da PLR da categoria. Mesmo a empresa sofrendo com o fechamento do comércio desde o início do mês, quando um decreto municipal anterior já enquadrava o município na fase vermelha por conta das UTIs com uma ocupação total em função do grande número de doentes pelo coronavírus, o empresário confirmou que estará quitado a PLR nesta sexta-feira (2). 
 
Apesar de todas as dificuldades sanitárias e econômicas nesta conjuntura pandêmica, ampliadas e que tem perdurado por mais tempo por causa da falta de medidas do Governo Federal, a gráfica se comprometeu com o Sindigráficos quanto ao cumprimento dos direitos dos trabalhadores. E garantiu que fará o possível mesmo dentro do caos. A PLR é um desses direitos negociados pelo sindicato e que melhora a renda dos gráficos. O valor é definido pelo número de trabalhadores por empresa. No caso da Amaral, cada gráfico, se não tiverem falta no trabalho, receberá R$ 318. O proprietário da gráfica, mesmo não tendo como ter pago em 5 de março, como define a convenção, garantiu que pagará nesta Sexta-Feira Santa.
 
Em conversa franca com o sindicato, o dono da empresa também revelou que, em função do fechamento do comércio, setor que é o maior cliente das gráficas pequenas, não sendo diferente no caso da Amaral, tem feito com que a gráfica enfrente dificuldades quanto ao pagamento salarial dos empregados nos últimos meses. “No entanto, garantiu que ninguém tem ficado sem o vale-quinzenal e sua remuneração mensal, mesmo havendo pequenos atrasos excepcionalmente, porém, têm feito de tudo para evitar os atrasos quando assim é possível”, conta Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos.
 
Apesar do caos generalizado também na economia, o governo Bolsonaro ainda não anunciou nenhuma medida para socorrer ninguém. Em 2020, por sinal, havia medidas que permitiram até suspensão do contrato de trabalho temporariamente. Assim, os gráficos eram pagos pelo seguro-desemprego, protegendo o emprego e a renda do trabalhador, e sendo uma alternativa para as empresas sobreviverem neste período mais difícil de lockdown parcial ou não. A metade do quadro de gráficos da Amaral foi incluído nesta medida no ano passado, e todos continuam empregados.  
 
“Embora passamos por um cenário caótico, nosso papel é o de lutar pela vida, emprego, renda, direitos e pelas condições de trabalho dos gráficos. Assim faremos, mas sempre com diálogo franco e em busca de meios junto com as empresas, como ocorre agora com o dono da Amaral, onde ele se comprometeu em evitar os atrasos do vale e do salário e a pagar a PLR nesta sexta. Esperamos a mesma atitude de todos os empresários de Bragança Paulista e das demais cidades de nossa região de atuação sindical. E esperamos bem mais poder contar com todos os trabalhadores para o fortalecimento do sindicato através da sindicalização em massa, inclusive dos gráficos ainda não-sócios da Amaral. SINDICALIZE-SE!”, convoca Leandro.   

PRIMOS ASSUME ACORDO COM SINDICATO PARA QUITAÇÃO DA PLR DOS GRÁFICOS COM VALOR DOBRADO EM RELAÇÃO A OUTRAS GRÁFICAS

Apesar da crise na economia devido à falta de vacinas para a imunização dos trabalhadores contra covid e assim a garantia da volta das atividades sem o lockdown, o Sindigráficos conseguiu firmar junto à Primos Etiquetas (em Louveira) o compromisso com a vida, emprego e a renda de todos os trabalhadores. A empresa, que não demitiu ninguém e adotou protocolos de saúde desde o início da pandemia, e, apesar da atual fase mais crítica que interfere no caixa financeiro, confirmou o pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) dos gráficos com valor dobrado referente ao restante das gráficas, sendo que será quitado no fim do próximo mês.

Pelo acordo, os gráficos receberão dobrado porque as demais empresas só aceitaram pagar a PLR pela metade em função da pandemia em 2020. “Cada um dos 33 trabalhadores da Primos, que aguardamos a retribuição com a sindicalização de todos depois de nossa reiteração junto à empresa para o cumprimento do acordo apalavrado durante o 2º semestre do ano passado, já na crise na pandemia e após o término da campanha salarial, receberá R$ 692,16 a mais do salário de abril”, fala Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos em Cajamar, Jundiaí, Vinhedo e toda região.

A empresa pediu só um pouco mais de tempo para efetuar o pagamento em função do impacto do lockdown, interrupção da economia que apenas continua por conta da falta de vacinas contra covid para os trabalhadores.  Assim, apesar de não pagar a PLR em 5 de março, como o restante das gráficas, a Primos pagará com o valor dobrado no próximo dia 30 de abril.

A empresa também tem se diferenciado referente ao cuidado com a vida dos trabalhadores. Em função dos protocolos de saúde adotados até aqui, há mais de um ano, somente dois empregados contraíram coronavírus e na forma leve da doença, onde um adoeceu durante o período das férias. Todos os 33 postos de trabalho também foram mantidos até o momento. O Sindigráficos parabeniza a Primos Etiqueta e reafirma o compromisso da entidade pela defesa a vida, emprego e renda dos gráficos da região.