PRESSÃO DO SINDIGRÁFICOS SOBRE A CUNHA E FACCHINI TRÁS ALÍVIO AOS GRÁFICOS COM MENOR RISCO DE ACIDENTES

1

“A Cunha e Facchini insistia em manter algumas irregularidades, mas elas começam a ser resolvidas diante da nossa pressão e do apoio dos órgãos públicos competentes, que foram acionados pelo sindicato”, diz os sindicalistas

A fim de garantir a saúde e segurança dos 90 trabalhadores da empresa Cunha e Facchini, localizada em Itupeva, o Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Gráfica de Jundiaí e Região (Sindigráficos) monitora sistematicamente a empresa depois do fatal acidente de trabalho com um gráfico em 2014, em função das péssimas condições de trabalho e instalações de máquinas. A entidade sindical acionou o Ministério do Trabalho, Vigilância Sanitária e o Centro de Referência da Saúde do Trabalhador (Cerest).

A ação sindical começa a surtir efeito e a empresa tem sido notificada pelos respectivos órgãos, tendo, portanto, que se adequar as exigências legais. O fato tem aliviado a preocupação dos funcionários, que temiam que ocorresse o pior com a saúde e a própria vida deles, a exemplo do que aconteceu antes.

fachinni2O Sindigráficos se reuniu com a empresa na terça-feira da última semana. Na ocasião, o diretor sindical Marcelo Sousa indagou sobre a necessidade da correção de problemas que ameaçavam a saúde e a segurança dos trabalhadores. “A Cunha e Facchini insistia em manter algumas irregularidades, mas elas começam a ser resolvidas diante da nossa pressão e do apoio dos órgãos públicos competentes, que foram acionados pelo sindicato”, diz.

Depois disso, a empresa mantém em funcionamento uma Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa). Com isso, tem promovido a obrigatória formação dos trabalhadores sobre o uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), além de ter feito a adequação das máquinas para garantir a integridade física dos operários, conforme exige a NR 12.

A Norma Regulamentadora nº 12 é fundamental para evitar acidentes como ocorreu com o trabalhador no ano passado. A NR define referências técnicas, princípios fundamentais e medidas de proteção para garantir a saúde e a integridade física dos trabalhadores. E também estabelece requisitos mínimos para a prevenção de acidentes e doenças do trabalho nas fases de projeto e de utilização de máquinas e equipamentos de todos os tipos, entre outros quesitos.

“A empresa garantiu que as máquinas já foram adequadas com base no que determina a NR 12. Isso é a certeza do fim das ‘gambiarras, condição inclusive que vitimou o gráfico em 2014”, informa Sousa. Com a adequação, os trabalhadores não correm mais o risco com a precarização antes existentes nos maquinários.

Além disso, a Cunha e Facchini também atualizou a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes. A Cipa é um instrumental indispensável para a garantia da saúde e segurança dos trabalhadores, porém, só quando ela funciona de verdade.

Desse modo, apesar do Sindigráficos reconhecer a iniciativa da empresa em renovar a Cipa, a entidade antecipou que não aceitará um novo processo de eleição da futura Cipa, sem a participação e acompanhamento do órgão sindical diante de todo o procedimento.

fachinni3Outro ponto tratado durante a reunião com a Cunha e Facchini diz respeito ao não cumprimento de ressalvas feitas na rescisão de contrato de alguns ex-funcionários. “O assumido no ato da rescisão tem de ser cumprindo e ponto final”, ressalta Sousa. O dirigente admite que o Sindigráficos não costuma aceitar fazer ressalvas nas homologações de rescisões, mas fez em decorrência do pedido dos próprios empregados.

O fato de não admitir as ressaltas é para evitar justamente o descumprimento por parte do setor empresarial. Todavia, a empresa se comprometeu em regularizar todas as pendências, porém, não aceitou determinar um prazo para isso. Dessa forma, a entidade sindical definiu o tempo limite de 15 dias antes de entrar com outros meios legais para fazer cumprir o direito dos trabalhadores.

 

Bingo das Mulheres

premioNeste domingo (29), as funcionárias gráficas sindicalizadas de Jundiaí e de dezenas de cidades do entorno, participarão do tradicional Bingo das Trabalhadoras da Categoria, promovido sempre no mês de março, em homenagem ao Dia Internacional da Mulher. O evento, que nos últimos anos foi promovido pelo órgão de classe (Sindigráficos), será organizado este ano pelo Comitê Feminino da Categoria, que acaba de completar um ano de vida. Diversos prêmios serão distribuídos entre as ganhadoras na Associação dos Aposentados e Pensionistas de Jundiaí. A atividade é voltada ainda para a proteção da saúde da trabalhadora gráfica e à sua organização política em prol dos direitos delas. O evento integra o calendário anual de ações do Sindigráficos.

comite