PROMESSAS VAZIAS DA CLICHERLUX SOBRE PAGAMENTO DA PLR E DO FGTS DEMANDAM REAÇÃO DOS GRÁFICOS OU RISCO É CERTO

No próximo dia 5, chega o novo período das gráficas começarem a pagar a Participação dos Lucros e Resultados (PLR). Todas devem pagar a 1ª parcela. O dinheiro extra deve ser dado pela empresa a todo funcionário que trabalhou no ano passado. Não é facultativo. É obrigatório. O direito resulta da luta do Sindicato da classe (Sindigráficos) na última campanha salarial, mantendo na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da classe. Os gráficos da Clicherlux, por sua vez, ainda aguardam, sem uma reação unificada e organizada, o pagamento da PLR de 2018 e de outros anos. O Sindigráficos, após mais de ano negociando a solução com a empresa, cansou de promessas vazias, inclusive do pagamento do FGTS pendente.

Diante do risco de prescrição do tempo para poder acionar a Justiça, ou seja, sem que ninguém possa depois processar a empresa para resgatar, por exemplo, o FGTS com anos sem recolhimento, laborando lá ou não, o que causará grande prejuízo financeiro para os 80 empregados do local, o sindicato cansou das vazias promessas de regularização da Clicherlux. A entidade aguarda agora só a decisão dos trabalhadores para resolver o caso ainda em tempo.

“Caso queiram se sindicalizar, o que garantirá uma proteção sindical, tendo um custo bem menor em comparação aos direitos ameaçados de perderem, poderemos representa-los judicialmente como nossos associados”, fala Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos.

“Chegou o momento do trabalhador assumir se concorda com Bolsonaro ou conosco. Bolsonaro diz que é bom emprego sem direito, nós não!”, diz Jurandir Franco, diretor sindical que atua nas gráficas de Valinhos, local onde está instalada a Clicherlux.

Aqueles gráficos do local que acham que devem continuar recebendo o direito da PLR e o FGTS procurem Jurandir para se sindicalizarem. A iniciativa permitirá que o Sindicato possa levar o caso à Justiça do Trabalho, sem qualquer custo advocatício ao gráfico e com maior possibilidade de vitória por se tratar de seus associados que estão tendo sonegado direitos financeiros convencionados, como a PLR.

Por sinal, não houve qualquer garantia da Clicherlux de que pagará a 1ª parcela da PLR no próximo dia 5, conforme define a Convenção Coletiva de Trabalho dos Gráficos. “Aliás, e mesmo que houvesse anunciado, não seria muito confiável, uma vez que das várias outras promessas feitas em reunião com o Sindigráficos, sempre descumpriu o acordo na sequência, deixando pendente o pagamento da PLR dos anos anteriores, bem como o rombo no FGTS dos funcionários. Tudo só depende agora dos gráficos: ou se associam e reagem, ou assumem o risco de emprego sem direitos, como defende Bolsonaro e os seus patrões seguidores”, adianta Leandro.