SALÁRIO DE OUTUBRO DOS GRÁFICOS DO DIÁRIO/SP NÃO TERÁ MAIS DESCONTO SUPERIOR A R$ 60 PELA REFEIÇÃO

diario1 diario0

Nenhum funcionário do Jornal Diário de São Paulo, em Jarinú/SP, terá desconto salarial maior que R$ 60 pela refeição, mesmo que tenha falta. O acordo foi firmado com o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Gráficas de Jundiaí e Região (Sindigráficos) na última semana. A regra já vale para o salário de outubro. A empresa costumava descontar R$ 120 dos empregados que tinham alguma falta injustificada durante o mês. O órgão de classe negociou a retirada dessa punição aos empregados. Todos os 100 gráficos do jornal, com ou sem faltas no período, pagarão R$ 2,30 por cada refeição em média. O valor já foi maior no passado, mas, ainda assim, o sindicato continua negociando para tentar reduzi-lo mais. Além disso, o Sindigráficos tem batalhado para garantir um acordo coletivo junto à empresa para reduzir a jornada de trabalho dos gráficos.

diario4“Não haverá mais desconto salarial de R$ 120 pela refeição dos gráficos que faltarem o emprego no Diário”, comemora Jurandir Fanco, diretor do Sindigráficos. Este era um acordo firmado com a antiga empresa que o jornal adquiriu. E assim continuará após a negociação com o sindicato. O dirigente, por sua vez, aproveita para reivindicar mais que a garantia do desconto de R$ 60 por mês, o que equivale a R$ 2,30, em média, por cada refeição. Ele pleiteia a redução do valor do desconto, visto que há empresas do mesmo porte do jornal na região cujo o desconto é menor. Há empresas onde a refeição sai por R$ 1 para quem recebe o piso.

diario3O Diário de São Paulo também passou a realizar serviços de gráficas. Eis a razão do sindicato garantir piso salarial maior para todos os 100 funcionários. Recebem piso do setor gráfico (tem maior valor) e a cesta básica do setor de jornais (benefício com maior valor). “Enquanto a empresa vai se consolidando no setor gráfico e fazendo sua cartela de clientes, nós começamos a pleitear um acordo de redução de jornada de trabalho”, conta Valdir Ramos, diretor do Sindigráficos. A reivindicação é reduzir o trabalho nos finais de semana. Ele adianta que no dia 4 de dezembro já foi marcada uma reunião para voltar a tratar da questão.

Transporte e FTGS

diario2O sindicato também conseguiu junto à empresa tratar de problemas que prejudicavam os gráficos. O jornal alegou que o horário de trabalho de 10% dos funcionários foi adequado com o horário do transporte público do local. “Todavia, fomos esta semana averiguar o caso na empresa e verificamos que o problema continua”, diz Franco. Assim, o sindicalista adianta que solicitará ao jornal que contrate algum transporte privado para servir os trabalhadores, a fim de revolver a pendência de fato.

diario0Outro ponto tratado na reunião com o Diário de São Paulo foi o FGTS atrasado dos trabalhadores. O jornal não recolhe desde novembro do ano passado. Foi então que, após monitoramento do sindicato junto a empresa, ela informou que já solicitou o pagamento parcelado na Caixa Econômica, porém, aguardo ainda a posição da instituição bancária. Somente em caso de confirmação, poderá fazer o contrato em questão.