SERÃO APURADAS DENÚNCIAS DE PROBLEMA NA BILPRESS NO PLANO DE SAÚDE, REFEITÓRIO E NA JORNADA DE TRABALHO

A sustentabilidade política-econômica dos sindicatos depende única e restritamente da unidade dos trabalhadores através da sindicalização e da participação nas atividades das entidades. Sem isso, os direitos dos empregados ficarão em risco, sem ter onde recorrer quando sonegados, sobretudo frente o sucateamento do Ministério e da Justiça do Trabalho e o pior será a partir de novembro quando a reforma trabalhista entra em vigor. Não é diferente no caso dos gráficos. Portanto, sindicalize-se para proteger seus direitos. E é devido a alguns filiados na emprega Bilpress, em Itupeva, que o Sindicato da classe (Sindigráficos) volta no local para defender todos os trabalhadores enquanto tiver condição. A maioria dos gráficos da Bilpress ainda não se sindicalizou, mas todos podem estar enfrentando problemas no uso do plano de saúde e refeitório, conforme as denúncias, bem como queixas de alterações na jornada de trabalho.

“O Sindicato tem o compromisso de defender os direitos dos gráficos, mas tem custo para isso, a exemplo da proteção da saúde e segurança de todos da Bilpress, quando denunciaram o forte odor de produto químico na produção, sendo necessário contratarmos a engenheira Ambiental Suely Silva, nossa consultora para tal questão, para inspecionar o local”, ressalta Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos. Nesta ocasião, a engenheira constatou esse problema derivado de uma nova máquina instalada na produção, levando a empresa a se comprometer em sanar o problema. A contratação da engenheira, por sua vez, representou e sempre representará custo para o sindicato toda vez que for necessário tal expertise – paga através das mensalidades das filiações e contribuições financeiras do trabalhador. Custo este sempre bem realizado em favor da própria categoria gráfica.

Agora, apesar de muitos ainda não se sindicalizarem e contribuírem de outra forma com a entidade de classe, já demandam ajuda do Sindicato diante de novos problemas, os quais foram denunciados pelos próprios trabalhadores. Há queixas de que a jornada de trabalho foi alterada, de dificuldade para usar refeitório, sobretudo os gráficos do turno da noite, e de que empregados estão com problemas continuados na hora de usar o convênio médico, porque a empresa atrasa sempre o pagamento. “Já notificamos a Bilpress para tratar desses assuntos e para reavaliar também a questão do odor de verniz na produção”, informa Rodrigues.

A notificação foi feita na empresa na última sexta-feira (22). A Bilpress já respondeu. A reunião dos representantes da gráfica com os sindicalistas deve ocorrer na próxima semana. O sindicato antecipa que o refeitório com equipamentos é uma obrigação para toda gráfica que não fornece refeição ou ticket. A entidade tentará também negociar um acordo de jornada de trabalho e buscará formas de sanar o possível problema em relação ao convênio médico. Gráficos, não fiquem só. Sindicalizem-se!