SINDICALISTA NA LOG&PRINT EVITA DESCONTO IRREGULAR DE TRABALHADORAS QUE PRECISARAM LEVAR FILHOS AO MÉDICO

Embora a categoria gráfica esteja em campanha pela volta do reajuste do salário com ganho real e pelo descongelamento do valor da PLR, todos direitos da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da classe continuam em vigor até agosto de 2020. Entre eles, o direito da mãe trabalhadora se ausentar do serviço por oito vezes ao ano para levar o filho de até 12 anos ao médico. No entanto, a nova direção da Log&Print, gigante do segmento gráfico em Vinhedo, descontou irregularmente tal ausência no último mês. O caso foi parar na gerência da empresa, sendo resolvido, após uma das empregadas do setor de Acabamento, Valéria Siomionatto, que é diretora de base do Sindicato local (Sindigráficos), tomou conhecimento do caso.  

“Depois que falei sobre a CCT, o gerente me garantiu pessoalmente que fará o ressarcimento na nova folha de pagamento pelo desconto irregular feito sobre o salário do último mês de uma profissional que havia levado o seu filho para uma consulta médica”, conta Valéria. A empresa passou por mudanças de toda a sua direção. E, desde então, vários retrocessos sobre a jornada laboral e em demais direitos no local têm sido relatados.

Para a empresa efetuar o desconto sobre o salário da gráfica em questão, foi usado um critério onde mostrou total desconhecimento da convenção de direitos da classe em vigor. “A profissional me falou que o desconto foi aplicado porque, segundo as informações que lhe repassaram, só poderia se ausentar uma única vez no ano para levar seu filho ao médico sem tais descontos salariais. Foi dito que é do mesmo jeito que doação de sangue. A CCT não diz isso. Deixa oito vezes por ano”, disse Valéria ao gerente.

A regra é clara. E a sindicalista lembrou ao gerente que a cláusula 54º da CCT garante diversas ausências remuneradas da mulher trabalhadora ao longo do ano. O texto é objetivo e diz que a profissional pode sair até oito vezes por ano para levar o seu filho (de até 12 anos e com qualquer idade se comprovadas condições excepcionais) para as consultas médicas. O número de ausências pode chegar a 10 vezes, em caso de internamentos.  A mesma cláusula garante este direito também para os gráficos homens, desde que seja viúvo ou separado e tenha a guarda legal de seus filhos.