SINDICATO ABRE DOMINGO PARA CAFÉ COM OS GRÁFICOS E TIRAR DÚVIDA JURÍDICA COMO FICA A APOSENTADORIA COM A REFORMA

Neste domingo (28), adiantando as ações contra a reforma previdenciária no 1ª de maio, tradicional data de luta dos trabalhadores por direitos pelo mundo, será realizada uma atividade especial na sede regional de Jundiaí do Sindicato dos Profissionais Gráficos (Sindigráficos) da região. A partir das 9h, independente de ser sindicalizado, o trabalhador e a trabalhadora estão convidados a tomar um café e a receber assistência jurídica gratuita sobre o tempo restante para conseguirem a aposentadoria baseada na lei atual e como ficará se aprovada a reforma da Previdência de Bolsonaro.

O evento está sendo chamado de Café da Resistência. O nome dado tem relação direta com a necessidade da conscientização dos gráficos sobre os prejuízos para a concessão da sua aposentadoria se a reforma passar. “Duvido que a categoria não se revolte e não lute contra esta reforma após descobrir que perderá o seu direito, tendo de trabalhar muito mais e sem a segurança de que conseguirá se aposentar; e com valores menores se conseguirem”, desafia Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos.

O advogado da entidade, Luis Carlos Laurindo, e mais juristas convidados estarão à disposição dos trabalhadores. A Associação dos Aposentados e Pensionistas da região também. A presidente da entidade, Fé Juncal, já confirmou presença. Será apresentado um panorama sobre os prejuízos se houve mudanças na lei previdenciária como deseja o governo federal. Será a oportunidade do trabalhador e trabalhadora saber como ficará seu direito à aposentadoria. O evento é aberto para todos, sendo sindicalizado ou não.

Portanto, o lugar do gráfico(a) neste domingo é no sindicato em Jundiaí. A atividade será realizada um mês depois do tradicional evento do Dia da Mulher no Sindicato, quando as trabalhadoras sindicalizadas da categoria rejeitaram a reforma da Previdência após descumprirem que muitas delas terão grande dificuldade de se aposentarem. O cenário chamou a atenção da entidade. E decidiu agora oportunizar aos homens da classe e a todos não associados (homem e mulher) essas orientações políticas e jurídicas.