SINDICATO COBRA NOVA JORNADA E INSALUBRIDADE PARA GRÁFICOS DE MULTINACIONAL DE EMBALAGENS FARMACÊUTICA

Até o final deste mês, a empresa multinacional mexicana de impressão em embalagem farmacêutica, que tem uma unidade em Atibaia, precisa responder as reivindicações do Sindicato da categoria (Sindigráficos) em relação à jornada de trabalho e à insalubridade no local. Hoje faz quinze dias que a entidade de classe notificou a então empresa Novaprint, que tem a sua sede na Cidade do México, além de várias filiais em países da América Central e no Brasil. Apesar dos responsáveis pela unidade em solo brasileiro ter garantido ao sindicato que dará retorno, o Ministério do Trabalho será acionado se nada acontecer até a data combinada.

”A Novaprint se comprometeu em nos dar um retorno sobre o pleito dos gráficos sobre a implementação de uma jornada em regime de trabalho em sábado alternados – esperaremos até o próximo dia 31″, conta Jurandir Franco, diretor sindical. A questão social do trabalho sempre foi no Brasil um direito relevante, desde a criação da CLT, e ainda antes no caso dos gráficos a partir da  greve geral no ano de 1923, quando criou a 1ª convenção coletiva da classe. Logo, independente de como tem sido tratada a lei no México, os gráficos brasileiros devem ter vida social além de laborar. O caso pode ser resolvido através de um expediente semanal com folgas alternados nos sábados. Até agora, a jornada tem sido de segunda-feira a sábado.

Outro pleito a espera de resposta é sobre a denúncia de forte odor de solvente na produção, usado na impressão das cartelas de remédios. “O local é quase hermeticamente fechado por questão de higiene, ficando concentrado no ambiente o odor das substâncias químicas utilizadas na fabricação”, explica Franco. Assim, a situação poderá caracterizar que o caso demandará um adicional de Insalubridade para os trabalhadores, se não for possível garantir a ventilação dos produtos para a atmosfera.

“Se a Novaprint não sinalizar uma resposta até o final deste mês, já na semana seguinte, solicitaremos a intervenção do Ministério do Trabalho no caso, a fim de intermediar os encaminhamentos”, antecipa Franco. A filial da empresa em Atibaia começou a ser construída no ano de 2013 e foi inaugurado no ano seguinte. Existem atualmente 22 trabalhadores.

O grupo econômico da Novaprint, por sua vez, já acumula 35 anos de experiência no fornecimento de embalagem para indústria farmacêutica, especializada inclusive em impressão por rotogravura de papel alumínio. O Sindicato aproveita e convoca os trabalhadores para se associarem à entidade de classe, fortalecendo a luta pelas conquista. Sindicalize-se!