SINDICATO CONCLAMA GRÁFICOS PARA DEFENDEREM ACORDO NA REDOMA ONDE GARANTE FOLGA TODO SÁBADO E DOMINGO

Com jornada semanal de segunda à sexta e com folgas remuneradas todo sábado e domingo, como posto pela negociação com Sindicato da classe há mais de uma década, a gráfica Redoma, em Cajamar, mantêm quase 100 trabalhadores empregados, produzindo e com vida social. O cenário, porém, é bem diferente da Medida Provisória (MP 881) de Bolsonaro onde transforma domingo e feriado como dias normais de serviço. O sindicato, por sua vez, alerta os 90 gráficos da empresa para evitar que tal mal não recaia sobre eles. Para isto, conclama a unidade de todos junto à entidade através da sindicalização para ter sucesso nas negociações com a gráfica para renovação do referido acordo coletivo de trabalho da jornada laboral.

O acordo está vencido. Ele foi criado há uns 15 anos para evitar o trabalho precário, bem como contratos irregulares, como era comum na Redona o trabalhador sem o registro na carteira de trabalho, freelances e afins, sem as garantias dos direitos dos gráficos registrados, como do pagamento da hora-extra de 65% em dias de semana e 100% em domingos e feriados. “Hoje, infelizmente, já há denúncias de que voltam a ser praticados banco de horas para não pagar os empregados pelas horas-extras”, diz Leandro Rodrigues, presidente do Sindicato de Cajamar e região (Sindigráficos).

Portanto, a fim de garantir a manutenção do acordo, ou seja, uma jornada de trabalho de segundo a sexta e não a liberação de domingo a domingo, como prevê a medida de Bolsonaro, inclusive sem garantia do pagamento da hora-extra, os gráficos da Redoma precisam se juntar ao Sindigráficos se quiserem preservar tais conquistas. O acordo, por sua vez, garante até o pagamento de hora-extra de 200% se trabalhado em dias específicos, a exemplo do Natal, Réveillon, Sexta-feira Santa e Páscoa. E também no dia 7 de fevereiro, pois conseguiu garantir o dia do gráfico como feriado.

Apesar de vencido, a empresa sinalizou interesse de iniciar a negociação. O Sindigráficos deve começar agora em agosto. Mas a entidade já adianta que precisará de força total dos trabalhadores. O atual cenário requer uma maior unidade entre a categoria para evitar os retrocessos impostos pelo atual governo e em sintonia com o segmento empresarial. Sindicalizem-se AQUI AGORA e proteja as suas conquistas defendidas pelo sindicato.

O acordo é tão avançado que compreende as necessidades da empresa, sem com isso onerar só o gráfico, como posto nos projetos de Bolsonaro. Ele permite que haja uma alteração da jornada de segunda a sexta-feira, desde que haja um boom produtivo por um determinado período. Quando isso acontece, passa-se a ter três turnos de serviço, onde os 1º e 2º turnos laboram de segunda à sábado, e o 3º continua de segunda a sexta-feira, tendo revezamento dos trabalhadores entre os turnos todo mês. Assim, o emprego, a produção e a qualidade de vida ficam preservados”, finaliza Leandro.