SINDICATO ENDURECE COM A MANUTENÇÃO DA JORNADA EXTENSA DOS GRÁFICOS DE MULTINACIONAL EM ATIBAIA  

Na última quinta-feira (15), após meses de desculpas sem apresentação de solução efetiva para a jornada dos gráficos, submetidos ao trabalho semanal de 2ª ao sábado, a atual gestão da unidade da multinacional mexicana de embalagens farmacêutica em Atibaia foi surpreendida com carro de som e uma comitiva sindical na porta da empresa. O Sindicato da classe (Sindigráficos) garante que acabou para a NovaPrint o período de espera sossegada se a resposta prometida desde 2017 não surgir. A entidade já anunciou mais protestos no local de forma recorrente. E não descarta buscar a matriz no México através da Federação Paulista dos Gráficos (Ftigesp) na qual é filiada à UNI Global – Gráficos Américas – órgão que tem representação nas Américas do Norte, Central e do Sul.

O Sindicato vem cobrando da NovaPrint a melhoria na jornada laboral que tem sido duramente criticada pelos trabalhadores. Eles não folgam em nenhum sábado, reduzindo a vida social e as chances de melhoras no convívio familiar. Uma simples mudança no horário semanal poderia resolver isso. Bastava alterar o expediente. Porém ainda continua sendo feito em dois turnos (6h às 14h30 e 14h20 às 22h30) de 2ª ao sábado.

“Não queremos obrigar nada à empresa, mas não se pode pensar só no seu lucro, sem dar um mínimo de condições de vida ao seu empregado. Portanto, esperamos que seja marcada a reunião para tratarmos disso”, realçou Jurandir Franco, diretor sindical no ato na porta da multinacional.

No protesto na NovaPrint, o dirigente alertou ainda os funcionários que com a validade da lei da reforma trabalhista os empregados precisam mostra mais sua insatisfação, inclusive até se recusando a fazer horas-extras e participando do Sindigráficos, a fim de fortalecer suas próprias reivindicações sobre a melhoria na jornada laboral e outras questões.

Afinal, desde novembro/2017, o Sindicato tem feito a sua parte cobrando de forma administrativa uma solução efetiva para os pleitos dos gráficos. Assim, faz-se necessário maior unidade e luta da classe. Sindicalize-se AQUI!

Outro questionamento dos trabalhadores que o Sindicato vem buscando resolver com a empresa trata-se de uma possível insalubridade devido o forte odor de solvente no local. “A NovaPrint negou esta situação. Falou inclusive que há isolamento da área e tratamento especial. Porém ainda não apresentou tais provas”, conta Franco.

Ele não descarta pedir uma fiscalização do Ministério do Trabalho para analisar questões de higiene e saúde na gráfica, ou que seja liberado a fiscalização pelo Sindicato. O órgão aproveitou para lembrar que o prazo para pagamento da 1ª parte da PLR 2018 encerra no próximo dia 5, visto que houve problema antes.