SINDICATO FECHA ACORDO COM INAPEL NA PANDEMIA ONDE GARANTE PLR COM VALOR 56% SUPERIOR A OUTRAS GRÁFICAS

Ao invés da pandemia ser utilizada como pretexto para o corte integral ou parcial da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) dos trabalhadores, como vem sendo exigido pelo patronal, o Sindigráficos acaba de renovar um acordo direto com a gráfica Inapel para pagar 100% do benefício com valores maiores que nas demais gráficas, mesmo com a covid-19. Assim, os 90 gráficos do local não receberão duas parcelas de R$ 383,03, como determina a Convenção Coletiva de Trabalho da classe para as empresas com 50 a 99 empregados. O acordo garantiu duas parcelas de R$ 600, totalizando R$ 1,2 mil, o que representa 56,64% superior à PLR convencional

“O patronal usa a crise da covid para arrochar mais a renda dos gráficos sem levar em conta a situação real das empresas e de seus empregados. Hoje, por sinal, todos os sindicatos dos gráficos paulistas se reunirão para debater o impasse em busca de uma solução conjunta, isto porque a posição insistente do patronal é usar a pandemia para exigir zero de PLR e ainda congelar salário. Porém, no caso da Inapel em Jundiaí, nós e a empresa negociamos de forma equilibrada e foi levado em conta a realidade. A gráfica, por exemplo, não teve grandes impactos, não precisou demitir e/ou reduzir jornada de ninguém. Também não teve produção maior. Desse modo, a PLR de R$ 1,2 mil foi mantida no novo acordo”, explica Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos.  

O sindicato conta que só não houve aumento do valor por conta da crise do coronavírus. Contudo, a negociação mostra que a pandemia não foi tão grave como diz o patronal, pois a Inapel aceitou renovar todo o acordo, garantindo o pagamento de uma PLR 56,64% superior às demais gráficas. A primeira parcela de R$ 600 será paga no dia 31 de março do próximo ano. A segunda, com o mesmo valor, deve ser paga dia 31 de agosto de 2021.

O ano de 2020 será a referência para o pagamento da PLR nas referidas datas. O acordo garante o direito até mesmo para o gráfico que venha a ser demitido ainda neste ano. O valor é calculado de forma proporcional a quantidade de meses trabalhados. O Sindigráficos também conseguiu o pagamento para os empregados que estejam afastados por doença ocupacional ou por qualquer acidente de trabalho.

O Sindigráficos demonstra mais uma vez para os gráficos que a entidade continua sendo indispensável para a defesa do interesse do trabalhador, sobretudo em período de crise e de governo que defende o emprego sem direitos. Só juntos os gráficos podem ser mais fortes. SINDICALIZE-SE!