SINDICATO RECONQUISTA JORNADA MENOR COM RENDA 100%, HOMOLOGAÇÃO SINDICAL DA RESCISÃO E FERIADO DA CLASSE

Em plena pandemia, ao invés de se isolar enquanto os gráficos estavam trabalhando, o Sindicato da categoria (Sindigráficos) intensificou a sua agenda junto às empresas em defesa da saúde, direitos e da renda dos trabalhadores. O diálogo sindical foi elevado com as gráficas no período, sobretudo naquelas onde têm um bom número de gráficos associados. O resultado positivo dessa atuação sindical para a classe será inclusive concretizado em favor de todos os gráficos da Redoma, no município de Cajamar, nesta quinta-feira (13), durante assembleia na própria gráfica.  

O Sindicato negociou com a empresa a retomada de um acordo coletivo com melhoria na jornada de trabalho e reconquista de direitos. O acordo tinha sido interrompido desde 2018, após 14 anos ininterruptos em vigor. A parada só ocorreu, apesar da luta sindical para renová-lo, devido à lei da reforma trabalhista em 2017, que destruiu parte da CLT. Mas agora, apesar da pandemia, o sindicato reconquista o acordo e com melhorias.

A luta sindical, em parceria com os gráficos da Redoma, sobretudo dos já associados, surtiu efeito agora em 2020, destruindo, felizmente, uma parte dos males trazidos pela reforma trabalhista. “Reconquistamos um direito importante para a proteção dos direitos e à saúde dos gráficos quando são demitidos. A homologação sindical da rescisão contratual do trabalho voltou a ser obrigatória, flexibilizada no ataque à CLT em 2017.

A negociação sindical trouxe vários outros benefícios de volta para os 80 gráficos da Redoma, a ser deliberado por todos nesta quinta-feira (13). O principal deles é a regulamentação da jornada de trabalho, inclusive com a redução de carga-horária sem a diminuição do salário. O acordo coletivo a ser aprovado também restabeleceu o Dia do Gráfico enquanto feriado, além do pagamento de hora-extra de 200% para quem trabalhar no Dia do Gráfico (07/02), Natal, Ano Novo, Sexta-feira Santa e Páscoa.

O acordo também avança em relação ao anterior. Se aprovado, reduzirá também a jornada de trabalho dos profissionais que laboram nos dois horários administrativos. Serão 15 minutos a menos diariamente. Assim, ao invés de 44 horas semanal, trabalharão 42h45. O horário é praticado por todos os empregados na maior parte do ano, já que os turnos só são implantados em períodos sazonais diante da alta produção. Os horários administrativos são de 2ª a 5ª das 8h às 17h45, e largam uma hora mais cedo na sexta; e de 2ª a 5ª das 7h às 16h45, e saem às 15h45 na sexta.  

A redução de jornada de trabalho sem diminuição salarial é ainda maior nos três turnos da produção, com destaque ao horário noturno, com 40 horas semanal. O 3º turno é de 2ª a 6ª feira das 22 às 6h. Os 1º e 2º turnos só trabalham 42 horas semanais. O 1º turno é de 2º a sábado das 6h às 14h, enquanto o 2º turno é de segunda a sábado das 14 às 22h.

O sindicato trabalhou forte na pandemia com a volta do diálogo sindical na Redoma, esta que se destacou pelo zelo com a saúde dos gráficos.  “Solicitamos até licenças remuneradas e a antecipação de férias dos trabalhadores, sobretudo daqueles mais vulneráveis ao coronavírus. A gráfica realiza até checagem diária com os funcionários para saber se sentem alguma enfermidade, sendo dispensado do serviço se positivo. Não por acaso, não foi registrado, até agora, nenhum caso de covid-19”, parabeniza a empresa, Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos.  

SINDICATO E CIPA

Nesta quinta-feira (13), além da votação dos gráficos da Redoma para a retomada do acordo coletivo onde reduz jornada sem redução da renda, então negociado pelo sindicato, apesar da pandemia, bem como a volta do feriado do Dia do Gráfico e da obrigação da homologação sindical da rescisão contratual, o Sindigráficos também acompanhará a eleição da nova Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa) na empresa.

Não somente a eleição, mas todo o processo eleitoral da Cipa foi tratado previamente entre a Redoma e o Sindicato. Levaram em consideração a crise da covid-19 e o momento propício para fazer a votação e manter ativo o importante papel dos cipeiros com relação à proteção da saúde e da segurança de todos os trabalhadores, sobretudo diante da pandemia.