SINDIGRÁFICOS DE JUNDIAI CONVOCA GRÁFICOS PARA DEFESA DE SEUS DIREITOS, PLR E PELO DESCONGELAMENTO SALARIAL

Nesta quarta-feira (14), mesmo sob a ameaça da não aplicação dos direitos superiores à CLT e do piso salarial do gráfico em função da Lei Trabalhista de Temer e do oportunismo patronal frente à pandemia que vem travando a renovação integral da Convenção Coletiva de Trabalho por mais um ano, o Sindigráficos continuará na luta em defesa da classe e somente os trabalhadores poderão dar a palavra final sobre a questão. Portanto, logo mais às 13h30, durante a 5ª rodada de negociação com os patrões, o sindicato manterá a luta pela continuidade dos direitos dos gráficos, por alguma PLR e pelo descongelamento salarial. Espera que o patronal volte atrás nestes ataques aos direitos e à renda da categoria.  Contudo, seja qual for a posição, o Sindicato convoca os trabalhadores para participarem de assembleia amanhã e decidirem os rumos da luta. A assembleia adotará os protocolos contra covid-19 e será realizada em dois horários (9h/19h) para escolha do gráfico, na sede regional Jundiaí.

“Hoje completa 44 dias que resistimos, mesmo sem a nossa convenção por causa do impasse criado pelo patronal nas quatro últimas rodadas de negociação ao insistir no ataque à PLR, piso salarial e a mais direitos dos gráficos, ameaçando a regulamentação do setor sem a convenção desde 1º de setembro, pondo em risco o conjunto de direitos históricos dos trabalhadores”, informa Leandro Rodrigues, presidente do Sindicato.  

Apesar disso, o Sindigráficos não foge da luta em defesa da categoria em tempo nenhum, muito menos durante uma campanha salarial. Isso pode ser facilmente verificado nos últimos anos. Além de assembleias, o sindicato costuma realizar até paralisações nas gráficas, oportunizando negociações favoráveis não só para todos gráficos de Cajamar, Jundiaí, Vinhedo e região, mas para todos do estado. Porém, com a pandemia, a situação está mais complicada neste ano. Todavia, a entidade reafirma sua disposição de luta mesmo assim. Não por acaso desde que iniciou a crise sanitária em março, ao invés de se isolar do trabalhador, o órgão sindical intensificou sua atuação nas empresas em defesa da categoria.

Neste espírito sindical de combatividade, mas também considerando os desafios trazidos pela crise sanitária no quesito econômico, o sindicato convoca os trabalhadores para assembleia pela garantia da convenção coletiva, por algum pagamento da PLR e o descongelamento do salário. “Seja qual for a posição do patronal hoje, avaliaremos amanhã e juntos com nossa categoria os rumos da campanha salarial”, convoca Leandro.