SINDIGRÁFICOS E BRASGRAPHICS ANALISAM HOJE O ENQUADRAMENTO SINDICAL DOS TRABALHADORES DO LOCAL

Nesta sexta-feira (3), o Sindicato dos Gráficos (Sindigráficos) fiscalizará a produção da BrasGraphics em Valinhos após verificar semanas antes que a empresa não considera seus funcionários como gráficos, negando para eles os mesmos direitos e salários da categoria  na região. Apesar dos serviços gráficos oferecidos no site da empresa demonstrarem que trata-se de uma empresa do ramo, a inspeção foi sugerida pela própria empresa e aceita pelo sindicato que irá junto com a Federação Paulista da classe (Ftigesp), especializada na identificação do enquadramento.

“Toda empresa que atua com impressão, pré e pós impressão em papel ou qualquer outro material, independente do processo tecnológico, ela é uma gráfica, a exemplo das empresas de comunicação visual. E devem respeitar a Convenção Coletiva de Trabalho da classe”, explica Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos. A BrasGraphics produz cartões de identificação, estando assim nas atividades do segmento gráfico. E ela só foi descoberta porque o dirigente Jurandir Franco visitava outras empresas na proximidade, sendo então identificada e logo notificada.

Durante a inspeção, o Sindigráficos e a Ftigesp demonstrarão as razões do porque a BrasGraphics é uma gráfica, como a partir do próprio nome.  No entanto, as entidade também tentarão demonstrar que os serviços e sistemas produtivos estão relacionadas ao segmento e abrangidas pela convenção da categoria. Mencionarão ainda sobre o Código Brasileiro de Ocupações e a Classificação Nacional de Atividades Econômicas.

O Sindigráficos tem feito um trabalho intenso para garantir os mesmos direitos e salários para todos os gráficos da região a partir do verdadeiro enquadramento sindical dos trabalhadores. Além da BrasGraphics, já  há cinco outras notificadas. O sindicato adianta que defende a unicidade sindical – quanto a representação se dá por categoria profissional. Logo, tem pleno interesse de defender todos os gráficos dentro desta questão.

“Parabenizamos a BrasGraphics neste momento em que mostrou estar disposta a buscar a solução objetivamente, abrindo assim as portas da empresa para que não reste dúvida sobre se existem gráficos ou não. E espera que as outras empresas já notificadas tomem a mesma postura”,  frisa Leandro. Enquanto não se resolve o enquadramento sindical dos gráficos da BrasGraphics, todos estão classificados como comerciários, perdendo, com isso, os 87 direitos coletivos dos gráficos e os salários.