GRÁFICAS CONTRATAM EM CAJAMAR E VINHEDO. TÊM VAGAS PARA 14 FUNÇÕES. ENVIE SEU CURRÍCULO PARA O SINDICATO

Duas gigantes do setor gráfico na região estão com vagas abertas para 14 funções distintas. São elas: Log&Print em Vinhedo, e Gonçalves em Cajamar. A agência de emprego Global, responsável no preenchimento dos postos na Log&Print, entrou em contato com o Sindicato da classe (Sindigráficos) pedindo currículo para técnico em segurança do trabalho, ajudante de expedição/almoxarifado, auxiliar de acabamento e analista de PCP. Os interessados devem comparecer no Sindigráficos ou enviar seu currículo para o e-mail contato@sindigráficos.org. Quem morar em Cajamar e entorno, tendo experiência na área de embalagem impressa,  podem enviar também para concorrer a outras funções na Gonçalves.

São dez funções distintas na Gonçalves. Basta mandar o currículo para o Sindigráficos que enviará para a empresa onde será feita a seleção. As vagas em aberto no local são para técnico gráfico Senai, auxiliar de gestão integrada, ajudante offset, impressor offset, operador de corte e vinco, coordenador de PCP, auxiliar de produção ou de administração, auxiliar de limpeza, orçamentista gráfica e auxiliar de serviços gerais de produção. “Embora nenhuma das empresas revelou o número de vagas por cada uma das função, serão mais de uma a depender das referidas atividades”, explica Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos.

A geração de emprego com todos direitos, como estas oportunidades na Log&Print e Gonçalvez com vagas para contratos de trabalho efetivos, é uma das pautas prioritárias para a classe trabalhadora e o Sindigráficos está sempre atento para esta questão, sobretudo diante das altas taxas de desemprego, crescente significativamente depois do governo Temer. “As gráficas que tenham vagas a divulgar, podem nos comunicar que repassaremos para a categoria. E os trabalhadores que estão à procura de emprego, enviem o seu currículo que enviaremos às empresas”, diz Jurandir Franco, diretor sindical e trabalhador da gráfica Log&Print que já possui cerca de 500 funcionários. Já a  Gonçalvez tem cerca de 470. Ambas as empresas têm funcionamento em três turnos diuturnamente.

O Sindigráficos continua focado para que os gráficos se coloquem no  mercado de trabalho. Todavia, a entidade também permanece na luta em defesa dos direitos, salário e condições laborais dos trabalhadores. “Desse modo, o sindicato aproveita para cobrar da Log&Print a resposta para a cobrança l em relação ao descumprimento de um acordo coletivo sobre a jornada de trabalho. Lembra que a troca de feriados só poderá acontecer através de votação secreta e individual dos funcionários. E este processo deve ser acompanhado dos dirigentes sindicais do local.

PARA JUIZ, SÓ SINDICALIZADOS PODEM TER BENEFÍCIOS DE ACORDO COLETIVO. E O QUE OS GRÁFICOS ACHAM DISSO?

Em muitos países da Europa, como a França, isso é parte da legislação. Apenas trabalhadores sindicalizados podem receber os benefícios e reajustes dos acordos coletivos. A decisão é do juiz Eduardo Rockenbach, da 30ª Vara de Trabalho de São Paulo. É válida apenas para São Paulo, mas abre um precedente para outras decisões. Segundo o magistrado, “os trabalhadores que não contribuem com a entidade sindical não têm o direito de receber em sua folha de pagamento as conquistas garantidas pelo sindicato”. “Se é certo que a sindicalização é facultativa, não menos certo é que as entidades sindicais devem ser valorizadas e precisam da participação dos trabalhadores da categoria, inclusive financeira, a fim de se manterem fortes e aptas a defenderem os interesses comuns”, acrescenta Rockenbach.

O exemplo da França

Em muitos países da Europa, como a França, a lógica que levou o juiz brasileiro a tomar sua decisão, faz parte da legislação do país, ou seja, por lá, somente o empregado sindicalizado recebe as conquistas garantidas em acordo coletivo. O modelo é uma forma que valoriza e fortalece as entidades sindicais e, por conseguinte, garante as conquistas dos trabalhadores e a qualidade nas condições de trabalho do povo francês.

A lição dos nórdicos

Outro bom exemplo, que relaciona a qualidade de vida e de trabalho e a igualdade de oportunidades ao fortalecimento das entidades sindicais, vem dos países nórdicos. Noruega, Dinamarca e Suécia, que estão sempre disputando os maiores Índices de Desenvolvimento Humano (IDHs) do mundo.

Os melhores exemplos de desenvolvimento humano do mundo estão relacionados à capacidade de organização de luta dos trabalhadores, através dos sindicatos. “Em uma sociedade de mercado, sempre haverá algum nível de injustiça social e desigualdade social. Talvez os países onde há menos desigualdade sejam aqueles que têm sindicatos fortes, onde a classe operária está organizada em um sindicato que tem recursos, que tem seus jornais e suas instituições. Falo, sobretudo, dos países escandinavos, onde os sindicatos têm muito peso frente às empresas. É inegável que, em outros países, a sociedade é muito mais desigual”, conclui o polonês Adam Przeworski, professor da Universidade de Nova Iorque e um dos mais respeitados cientistas políticos da atualidade

FONTE: Com informações da CUT-SP

SINDICATO GARANTE COMPENSAÇÃO FINANCEIRA MAIOR PARA GRÁFICOS DA EMEPÊ FRENTE O EMPENHO DELES NA PRODUÇÃO

Entra em vigor, a partir deste mês, acordo negociado pelo Sindicato dos Gráficos (Sindigráficos) onde compensará financeiramente o empenho profissional dos 260 gráficos da Emepê em Vinhedo. Será pago parcelas de no mínimo R$ 725, valor superior à parcela mais rentável da PLR da convenção coletiva da classe, que é de R$ 445,40. E o reconhecimento da empresa ao trabalhador, mediante esta negociação dos sindicalistas, pode ficar ainda maior que R$ 725. Pode ser acrescido de 16% a 32% do salário nominal de cada funcionário caso atinjam as metas globais da empresa associadas à cada setor produtivo e administrativo do local. Pelo acordado, no próximo mês, a Emepê já pagará uma parcela de R$ 725 e, no começo de 2019, após analisar as metas de julho à dezembro desde ano, deve pagar um valor maior baseado no resultado alcançado.

O sindicato já concluiu com a empresa todos os termos do Programação de Participação de Resultados (PPR), sendo aprovados pelos gráficos na última quinta e sexta-feira durante o processo de votação individual e secreta, monitorado pelo presidente do Sindicato, Leandro Rodrigues, acompanhado do diretor Antônio Amâncio e pela assessoria. A maioria aprovou o PPR, sendo 201 à favor, 20 contra e nenhum branco ou nulo. O processo foi acompanhado por representantes também da Emepê (Ana Correia, Edson Medeiros, Rodrigo Belucci e Ricardo Ianamoto).

Antes da votação com os empregados do setor administrativo e dos 1º, 2º e 3º turnos, Leandro promoveu assembleias explicando as condições do PPR e também demonstrou como o trabalhador deve se comportar para manter este direitos e todos os demais garantidos na Convenção Coletiva de Trabalho e por um outro Acordo Coletivo de Jornada laboral. No acordo de jornada, consolidado no início do ano pelo Sindigráficos, a entidade garantiu por mais dois anos a jornada semanal de 41,5 horas, o serviço no sábado alternado e o feriado do dia do gráfico, 7 de fevereiro.

“E para manter estes benefícios, o PPR e os direitos convencionados é preciso manter o Sindigráficos ativo através da sindicalização de cada um dos 260 gráficos da Emepê. O conjunto de conquistas deixa claro para estes trabalhadores que o sindicato tem feito de tudo em favor de todos. E a sindicalização não se trata de retribuição, mas, sem sindicato vivo e forte para atuar, que tem sofrido com a nova lei do trabalho, não haverá mais a entidade da categoria para defender todos estes direitos”, disse Leandro. Desse forma, embora o sindicato agradeça por demais o papel dos já 70 sócios, sendo fundamentais para consolidação do PPR e demais direitos, o sindicato espera que os demais 190 se sindicalizem. E a ficha de filiação foi entregue a cada gráfico que votou agora no PPR.

Além da associação é preciso participação para manutenção de direitos. E a garantia dos direitos convencionados por mais uma ano, como cesta básica e outras dezenas de benefícios contidos na Convenção Coletiva de Trabalho, depende da atuação da categoria na campanha salarial. A validade da atual convenção segue até outubro. Depois disso, somente se os direitos forem renovados em negociação com o sindicato patronal. Dependerá, portanto, da participação dos gráficos da Emepê e demais empresas. Leandro já convidou todos presentes na votação na Emepê para comparecem na assembleia geral da classe para decisão da pauta de reivindicação da campanha salarial 2018. O evento será no próximo dia 5, às 9h, na sede regional do Sindigráficos em Jundiaí. Participem!

SINDICATO NOTIFICA LOG&PRINT POR AMEAÇAR FERIADOS DOS GRÁFICOS COM DESCUMPRIMENTO DO ACORDO NA EMPRESA

Nesta sexta-feira (13), a gráfica Log&Print será notificada pelo Sindicato dos Trabalhadores da categoria (Sindigráficos Jundiaí e Região) devido a uma prática irregular que passou a aplicar nos últimos meses depois da produção voltar a ficar bastante aquecida novamente. A empresa tem ameaçado o feriado dos empregados através de uma iniciativa contrária aos termos definidos no Acordo Coletivo de Trabalho, firmado no final do ano passado e que continua válido. A notificação convocará a empresa para se explicar sobre denúncias de que não está respeitando a votação secreta e individual dos trabalhadores em relação à troca dos feriados.

O Acordo Coletivo de Trabalho permite o trabalho em feriado através da troca negociada por outros dias, desde que de comum acordo entre os trabalhadores e a empresa. Contudo, a decisão final fica a critério dos funcionários através da votação secreta e individual. E precisa ser assim para evitar perseguição ou pressão da chefia/diretoria sobre os gráficos para decidirem conforme a necessidade empresarial. “Mas a Log&Print não está cumprindo esta questão. Está fazendo o contrário”, diz Jurandir Franco, funcionário da empresa e diretor do Sindigráficos. Ele conta que a gráfica está passando uma listagem em aberto para a assinatura.

Com isso, temendo as represálias posteriores, uma vez que a lista é pública para o conhecimento de suas chefias e líderes, os trabalhadores acabam trocando os feriados com base só na vontade da empresa. “Na prática, a Log&Print passou a trocar o dia e a hora de trabalho como lhe covêm, obrigando os trabalhadores a assinarem a tal lista”, denuncia Valéria Simionatto, funcionária da empresa e diretora do Sindicato.

Não bastasse esse descumprimento do acordo coletivo, a Log&Print  também tem manipulado o resultado da votação através de um manobra evidente. “Tem incluído os funcionários do setor administrativo, mesmo  a jornada deles não incluindo o serviço em feriados e finais de semana. Isso também interfere no resultado da votação com prejuízo a todos os gráficos que trabalham em feriados, sábados e domingos”, fala Jurandir.

O Sindigráficos, portanto, notificou a empresa para seguir efetivamente o que trata o acordo coletivo, que tem força de lei e deve ser cumprindo sob pena de sanções judiciais, se necessário. “Exigimos que a votação da troca de feriado dos gráficos passe a ser secreta de hoje por diante, como deveria ocorrer desde o começo”, ressalta Leandro Rodrigues, presidente do Sindicato. Como a Log&Print descumpriu, a entidade vai exigir que as próximas votações sejam acompanhadas de empregados do local que também são diretores sindicais, a exemplo de Valdir Ramos e de Valéria Simionatto. O sindicato aproveita ainda para convocar todos aqueles gráficos ainda não filiados para que se sindicalizem urgente.