APÓS SINDICALIZAÇÃO DA MAIORIA, GRÁFICOS DA BATURROS PODEM CONQUISTAR UM ACORDO COM FOLGAS NOS SÁBADOS

Com mais da metade dos gráficos já sindicalizados na Baturros, apesar de situada na distante cidade de Nazaré Paulista, o Sindicato da classe da região (Sindigráficos) conseguiu reunir forças para tratar da melhoria da jornada laboral da categoria no local. A meta é garantir o emprego de todos e a vida social deles no final de semana, depois de ter descoberto recentemente que estão trabalhando em todos os sábados. A reunião será realizada na própria gráfica na próxima terça-feira (10). E um dos pleitos é que o trabalho seja realizado nos sábados de forma alternada.

A ação sindical já garantiu inclusive que mais profissionais da Baturros, empresa que atua no ramo de Confecção, sejam considerados como gráficos, a exemplo de desenhistas, por eles atuarem na pré-impressão, passando a ter também a garantia dos mesmos direitos e remunerações da categoria, contidos na Convenção Coletiva de Trabalho da classe, a exemplo da PLR, cesta básica mensal e mais 82 direitos coletivos. O Sindicato espera que eles e os demais ainda não sindicalizados sigam o caminho da maioria que já optou em se filiar e a fortalecer seus direitos, visto que dão o suporte econômico e político para o Sindigráficos atuar.

Neste sentido, a fim de que se juntem pela sua autodefesa, o Sindicato apresentará uma proposta de Acordo Coletiva de Trabalho (ACT) sobre a Jornada de todos os gráficos da Baturros. “Além do sábado alternado, vamos reivindicar que o Dia do Gráfico (7 de fevereiro) seja feriado”, diz Jurandir Franco, diretor sindical que está negociando esta questão. Ele adianta que também solicitará mais itens indispensáveis para a garantia dos direitos dos gráficos, a qual a nova lei do Trabalho de Temer e seus políticos aliados vêm destruindo. O Ministério do Trabalho, por exemplo,  já  deixou de homologar a rescisão contratual dos gráficos da empresa, como costumava fazer. Assim, será pedida a homologação no Sindicato.

“Como podem ver, mesmo com todos os ataques ao movimento sindical para destruírem o direito dos trabalhadores, desde que Temer tomou a Presidência, o Sindigráficos  continua atuante em defesa da classe nas empresas das 23 cidades da região, até mesmo nas mais distantes, a exemplo da Baturros e todas as outras, sobretudo quando o empregado entende o seu papel neste processo, sindicalizando-se e fortalecendo a luta”, pontua Rodrigues. Somente a categoria unificada em torno de seu sindicato poderão combater as aplicações dessa nova legislação do mal. Sindicalize-se AQUI e evite a retração dos direitos e condições laborais.