CESTA BÁSICA MENSAL EM DOBRO NOS PRÓXIMOS SEIS MESES E DINHEIRO EXTRA NA CLICHERLUX POR FALHA APÓS INCÊNDIO

Outubro será especial para os gráficos da Clicherlux, em Valinhos, após enfrentarem dificuldades depois que a empresa sofreu um incêndio em 2016, passando a atrasar pagamento de direitos da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da classe, como PLR e Cesta Básica. A partir deste mês, após reunião e cobrança do sindicato da categoria (Sindigráficos), a chicheria anunciou medidas de correções, as quais foram levadas ao conhecimento dos empregados, sendo debatidas nesta quarta e quinta-feira (5). A partir de agora, receberão uma cesta básica a mais por mês até compensar todas aquelas que foram deixadas de ser distribuídas. O mesmo foi negociado sobre as parcelas de PLR não pagas no período. Receberão parceladamente um valor extra no salário até que tudo seja pago. A empresa garantiu que nada ficará pendente sobre este direito. Além disso, comprometeu-se em pagar o 13º salário deles sem atrasos.  

“Do mês atual até março/2018, a Clicherlux entregará duas cestas por mês, conforme acordado na reunião com os donos da gráfica na quarta-feira da última semana”, diz Leandro Rodrigues, presidente do Sindicato.  Serão seis cestas básicas extras porque a empresa ficou de outubro de 2016 a março de 2017 sem distribuir tal benefício obrigatório pela CCT.

Também foi acordado o pagamento parcelado dos atrasados com a PLR de 2016 e desse ano. A cada mês, a partir de agora,  a empresa garante que tudo será pago. Os trabalhadores reivindicam que seja concluído até março/18, e sem que haja atraso no próximo 13º salário. A empresa, por sua vez, garantiu que só tem condição de liquidar tudo até julho/18, sendo aceito pelos funcionários na assembleia promovida pelo sindicato.

O FGTS dos trabalhadores também foi prejudicado com o incêndio na clicheria. A empresa deixou de depositar mensalmente como determina a legislação fundiária. Na verdade, as pendências começaram ainda no ano de 2015. Desde então, o Sindicato vinha cobrando a regularização, voltando a ser questionado durante a reunião na última semana. Assim, a empresa se comprometeu em fazer levantamento atualizado da dívida com cada gráfico, voltando a discutir o assunto nos próximos meses.

Apesar dos problemas recorrentes desde 2016, estes que notoriamente derivam das consequências do incêndio, a Clicherlux acumula respaldo de 20 anos de atuação na região, sem praticar essas irregularidades antes. Por isso, o Sindicato e os trabalhadores deram agora esse crédito à empresa para se regularizar, conforme anunciado pelos proprietários. Inclusive outra promessa feita e cumprida pelos patrões foi o pagamento recente de todas as pendências que acumularam no período com relação às verbas rescisórias dos trabalhadores que foram demitidos até então. Todavia, o Sindigráficos continuará acompanhando a situação. E pede que todos os gráficos fiquem mais unificados com a entidade de classe, através da sindicalização. “Não fique só. Associe-se”, frisa Rodrigues.