CIPA É COISA SÉRIA. CIPEIROS TÊM QUE AGIR NA PREVENÇÃO DOS ACIDENTES DE TRABALHO E DE DOENÇAS OCUPACIONAIS

No final do mês, os 490 gráficos da Jandaia participarão de uma eleição para escolher os seus representantes em uma comissão de profissionais para cuidar da prevenção interna de acidentes e doenças ocupacionais na empresa. Mas conhecida por Cipa, oito trabalhadores, sendo quatro titulares e a mesma quantidade de suplentes, assumirão esta missão em defesa da categoria no local. O Sindicato da categoria (Sindigráficos) vai acompanhar o processo eleitoral. Os gráficos do local interessados em se candidatar a uma vaga, desde que seja para cuidar efetivamente da proteção da vida e da integridade física dos colegas na Jandaia, podem se inscrever no setor de Segurança do Trabalho da empresa a partir da próxima quarta-feira (15) e segue até dia 29. E a eleição será no dia 31.

O sindicato aproveita o contexto do então processo eleitoral da Cipa na Jandaia para lembrar que todos os candidatos eleitos têm estabilidade temporária no emprego, desde o momento em que se candidata até um ano após deixar a comissão. A proteção é para evitar a perseguição aos trabalhadores que têm como missão de cipeiro o cuidado à saúde e vida dos profissionais da empresa, apontando inclusive as falhas da empresa que precisam de melhorias a fim de evitar acidentes e prejuízos outros.

Apesar disso, o sindicato avalia que a Cipa, no conjunto de empresas, tem sido banalizada por muitos trabalhadores cipeiros. Muitos acabam atendendo o interesse patronal, negligenciando diversos procedimentos e manutenções voltadas para prevenção interna de acidentes e doenças laborais. “Portanto, é preciso que o conjunto de trabalhadores tenham muito cuidado na hora de escolher os candidatos à Cipa. Só votem em quem estiver disposto a cuidar mesmo da saúde e segurança de todos no trabalho. Não vote em quem só quer estabilidade e ainda assim para atender o interesse do patrão em seu prejuízo”, diz Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos. Procure o sindicato em caso de dúvidas.

Dentre as funções de um cipeiro, o advogado do sindicato, Luis Carlos Laurindo, lista, por exemplo, cobrar da empresa que faça as melhorias das máquinas a fim de evitar acidentes, bem como cobrar a distribuição estímulo e orientação dos trabalhadores para o uso adequado de EPIs, bem como cuidar da ergonomia de todos para evitar enfermidades afins. “No geral, o cipeiro precisa agir para evitar um ambiente insalubre, ou seja, reduzindo risco permanente proveniente do local de trabalho”, diz.

Uma vez identificados problemas, o jurista lembra que os representantes dos trabalhadores na Cipa, têm o dever legal de informá-los em ata. A comissão é formada também pelo mesmo número de representantes da empresa. Portanto, o presidente da Cipa, que sempre é um membro da parte patronal, deve ser notificado por escrito quando a comissão não quer constar em ata os problemas ou não ajustar a questão localizada.

“A ação evita que recaia depois sobre o cipeiro e até sobre o trabalhador em caso de acidente futuro. A ação evita que cai a culpa sobre estes em função da falta do comunicado anterior sobre os riscos”, alerta Laurindo. O Sindigráficos adianta que está à disposição dos cipeiros e candidatos a cipeiros em caso de dificuldades postos pela empresa para prevenção de acidentes e doenças ocupacionais. Sindicalize-se e fortaleça a luta!