EMBAIXO DE FRIO NO DOMINGO, GRÁFICOS LOTAM SINDICATO EM DEFESA DOS SEUS DIREITOS E APROVAM PAUTA SALARIAL

Na manha do último domingo (5), embora estivesse bem frio, 90 gráficos de dezenas de empresas e municípios de Cajamar, Jundiaí, Valinhos e região defenderam seus direitos coletivos durante a assembleia inicial da campanha salarial da categoria. Aprovaram a pauta de reivindicação que será agregada ao pleito dos demais gráficos do estado e enviada para o sindicato patronal até o final do mês. Os trabalhadores defendem a volta do reajuste salarial com ganho real. Pedem 3% acima da inflação anual. E querem o mesmo índice sobre a PLR, já sem aumento há três anos, bem como nos demais direitos coletivos econômicos existentes. A bandeira central da campanha será ainda a volta da obrigatoriedade da homologação da rescisão contratual dos gráficos no Sindigráficos, direito retirado pela nova lei derivada da reforma trabalhista do Temer.

A campanha salarial começou mais cedo este ano. E sua razão é para tentar evitar outro mal criado pela nova lei trabalhista que permite aos patrões deixarem de entregar a cesta básica mensal, de pagar o piso salarial, PLR, de fazer o pagamento do salário no dia 5 de cada mês e de cumprir os demais 83 direitos contidos da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da classe. Com a nova lei, todos esses direitos só terão validade até o dia 31 de outubro, não sendo mais obrigados a cumpri-los se a negociação da campanha salarial não terminar até a referida data.

“Por disso, a campanha começou mais cedo. Mas ela precisará da plena participação dos gráficos, ainda mais forte que na assembleia aqui, para evitarmos a pressão do patronal para retirar direitos ao invés de ampliá-los”, disse Leandro Rodrigues, presidente do Sindicato dos Gráficos do local. Em relação a assembleia, os trabalhadores aprovaram todos itens do edital de convocatória da atividade, como a outorga da Ftigesp em poder representar o Sindigráficos nas negociações com o patronal. Os gráficos autorizam a entidade sindical até de fazer greve se as tratativas  não avançarem. E aprovaram também uma contribuição assistencial em favor do sindicato no mesmo valor dos últimos 10 anos (12% ao ano) e o respectivo direito dos trabalhadores a se oporem até terça-feira (14/08).

Presente na assembleia, o presidente da Federação Paulista da classe (Ftigesp), Leonardo Del Roy, alertou para outro ponto ultranegativo da nova lei trabalhista que fragiliza o Sindigráficos e todos os demais para negociarem direitos da categoria. Fragiliza ainda a atuação sindical para evitar as irregularidades das empresas. “Sempre foi vital, sendo agora ainda mais, a participação direta do gráfico para evitar tais males. A fim de fortalecer a negociação coletiva de direitos, que é feita pelo sindicato, os empregados precisam continuar contribuir financeiramente e também participando das ações sindicais na campanha e depois, fala Del Roy.

Na ocasião, antes do início da assembleia, os gráficos puderem ouvir o deputado federal Vicentinho, aliado histórico da categoria, que é autor de um projeto de lei (PL do Livro) em fase avançada na Câmara Federal para garantir e ampliar o emprego da classe na região, estado e Brasil. O parlamentar, que tenta a reeleição para puder continuar a defesa da classe trabalhadora, lembrou os gráficos sobre os avanços do governo Lula para a categoria, como os anos seguidos de ganho real no salário, crescimento da geração de emprego, melhoria na saúde, educação e na moradia…. E ele comparou tal situação com o governo atual do Temer. “Tudo piorou em todas as áreas. E mudou porque existem dois projetos em disputa: o primeiro é de inclusão social e o outro de exclusão”, disse Jurandir Franco, diretor sindical, alertando os gráficos para as eleições.

Truco e Dominó 

Embora uma boa parcela de trabalhadores foram embora logo depois da assembleia, objetivo central da atividade sindical do último domingo, o Sindigráficos promoveu o tradicional torneio de Truco e Dominó com a categoria – um momento de confraternização e preparação para o início da luta na campanha salarial. Diversas duplas participaram do torneio. Após muitas rodadas, os gráficos da Jandaia, Valdemir Evaristo (Mirão) e Susimara Oliveira (Susi) venceram no Dominó.

No trunco, ganhou a dupla Antônio Pedro (Gráfica Bragança) e Celso Roberto (Gráfica ABR), de Bragança Paulista – região que levou diversos gráficos à assembleia por conta da atuação do sindicalista desta localidade, Walter Correia. Os ganhadores do torneio ganharam troféu e um final de semana gratuito no Recanto dos Gráficos, no litoral paulista de Itanhaém. Houve ainda o sorteio surpresa de dois coolers com duas caixas de cervejas cada. Os premiados foram os gráficos Sérgio de Freitas (licenciado da Brasprint em Cajamar) e Valdemir Nassif (gráfica Amaral – também de Bragança).