GRÁFICOS DA D’ARTHY MORALMENTE AFETADOS POR TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO DEVEM PROCURAR O SINDICATO

As denúncias de intimidação e insultos contra gráficos da D’arthy voltam poucos anos depois da atuação do Sindicato da classe (Sindigráficos) no combate ao assédio moral praticado pelo gerente de Produção do local. Desta vez, as queixas, inclusive constatadas por representantes do órgão da classe quando visitaram os trabalhadores na empresa recentemente, mostram que um técnico em Segurança do Trabalho, cujo deveria cuidar da saúde dos funcionários, tem feito o contrário com gritos e humilhação da categoria. Assédio moral é crime. Não cabe ao proprietário ou qualquer subordinado da empresa praticá-lo, tenha o cargo que tiver, pois continua sendo crime. O Sindicato não tolera esta postura insalubre e criminosa. Os empregados afetados moralmente devem procurar o órgão da classe.  

O Sindigráficos ainda notificará a D’arthy, que fica situada em Cajamar, para tratar do assunto. Uma reunião será solicitada para ser realizada na entidade da categoria. Além da intimidação e a humilhação com gritos, as denúncias dos gráficos revelam que o técnico em Segurança do Trabalho também tem adotado este comportamento imoral através da interferência no serviço dos trabalhadores da produção, sem qualquer conhecimento. “Esta postura de assédio moral, com aval ou não da empresa, pode gerar ações judiciais contra a pessoa que comete tal crime e a própria gráfica”, alerta e critica Leandro Rodrigues, presidente do sindicato da categoria.

O sindicalista aproveita para lembrar qual o papel de um profissional em segurança do trabalho: no geral, é cuidar do conjunto dos empregados da empresa. “Portanto, jamais deve prejudicar a saúde psicológica e física dos trabalhadores através das consequências da prática do assédio moral com intimidação, gritos e humilhações”, explica Odair Tomé, assessor do Sindigráficos que acompanha este caso. Ele conta que até o informativo sindical entregue há duas semanas aos gráficos na empresa, foi jogado no lixo pelo técnico em segurança do trabalho, como informado no local.

Além da denúncia da volta do assédio moral na D’arthy, o sindicato ainda discutirá na reunião com a empresa sobre um acordo firmado desde 2013. “Desde então, o acordo garante o reajuste anual do vale-alimentação no mês de janeiro baseado no IGPM do mês de dezembro do ano anterior”, conta Leandro. O assunto será tratado porque também há reclamações de que o vale está defasado. Desse modo, o Sindigráficos vai apurar se o acordo está sendo respeitado, e ainda, caso esteja tudo certo, mas não garanta o valor adequado, solicitar um reajuste melhor. Sindicalizem-se!