NOVA FLEX É DESMASCARADA PELO SINDICATO APÓS FAZER RESCISÃO CONTRATUAL FALHA PARA NEGAÇÃO DE PLR E FGTS

Independentemente do tamanho e do número de trabalhadores, todas as gráficas deveriam ter pago a 2ª parcela do bônus financeiro anual (PLR) dos seus empregados no último dia 5. É obrigatório pagar a todos os que trabalharam em 2017, mesmo que já tenham sido demitidos neste ano. O direito está na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da classe. Porém, conforme acaba de denunciar um trabalhador demitido no último mês, não foi isto que ocorreu na gráfica NovaFlex em Itupeva. A empresa não só não pagou, como tentou encobrir a sonegação da PLR e também de parte do FGTS pendente. Ela não homologou a rescisão contratual do gráfico no Sindigráficos. Mas, sabiamente, o profissional ligou para a entidade e apresentou para conferência o termo de quitação entregue pela empresa. Não deu outra: descobriu as irregularidades e cobrará que tudo seja pago.

O fato mostra a importância do gráfico desconfiar da empresa que depois de demiti-lo não homologa a rescisão contratual no Sindigráficos. Como não custa nada para a empresa e nem para o trabalhador homologar no sindicato, a fuga da homologação por parte da empresa é, possivelmente, para sonega direitos do demitido, como acaba de ser visto na NovaFlex. “Toda vez que não ocorrer tal homologação, leve o termo de quitação para conferência do sindicato”, orienta Jurandir Franco, diretor sindical. Outra coisa é que o pagamento da PLR não é algo opcional, mas uma obrigação patronal. A obrigatoriedade consta na CCT. Quem estiver trabalhando e não recebeu até o último dia 5 também deve denunciar ao Sindigráficos.

A denúncia inclusive do gráfico da NovaFlex não ajudará somente a ele, mas todos os empregados que continuam atuando no local. Ao checar o termo de rescisão, o sindicato identificou não só a pendência na 2ª parcela da PLR, mas também que a empresa deixou de pagar alguns meses de FGTS do trabalhador. Como há poucos meses, após denúncia e atuação sindical, o dono da gráfica havia garantido que havia pago as pendências existentes no FGTS do conjunto dos funcionários, foi verificado agora esta situação ainda em aberto. “Embora ela até pagou a maior parte em atraso, ficaram faltando três meses”, diz Jurandir. O dirigente cobrará o que falta.

Os trabalhadores, por sua vez, precisam reconhecer a importância da sua entidade sindical na proteção de seus direitos. Até o momento, o sindicato ainda não conta com gráficos sindicalizados desta empresa. É necessário se associar para fortalecer o órgão da classe para continuar agindo contra a sonegação de direitos da categoria. Ademais, nas gráficas com nenhum ou baixo número de sindicalizados, a vulnerabilidade de direitos da classe é maior diante dos desmandos patronais ao verificarem a falta de unidade dos trabalhadores em torno do Sindigráficos. Sindicalize-se e proteja-se!