OBRIGADO PELA JUSTIÇA, GOVERNO PUBLICA NOVA LISTA DO TRABALHO ESCRAVO NO BRASIL, QUE VEM CRESCENDO

Nesta semana, depois da 11ª Vara do Trabalho de Brasília obrigar o governo Temer a dar publicidade aos dados da nova lista dos patrões escravagistas brasileiros, atualizados desde o último mês, o Ministério do Trabalho deve que publicá-la. E, como se verificou, mais nomes foram incluídos na relação, ou seja, mais trabalhadores estão sendo submetidos à situação análoga a de escravo.  O governo tinha até o dia 27 deste mês para cumprir a decisão. O descumprimento implicaria multa diária de R$ 10 mil. A decisão foi proferida como cumprimento de sentença transitada em julgado em setembro de 2017, que na época determinou a atualização da lista. A lista é compilada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) e publicada no site do Ministério do Trabalho. 
Após decisão da Justiça do Trabalho, o governo publicou nesta terça-feira, 10, uma nova versão com dados atualizados da ‘lista suja’ do trabalho escravo. O documento traz como novidade a inclusão de 34 nomes entre empregadores que submeteram seus funcionários a condições análogas à escravidão. No total, a nova lista conta com 166 empresas (clique aqui e consulte).
“A divulgação é importante também porque com base na Resolução 3.876 de 2010 do Banco Central as instituições financeiras integrantes do Sistema Nacional de Crédito Rural não podem renovar ou conceder financiamentos para quem constar nesta lista”, ressalta, em nota, o vice-coordenador nacional de Erradicação do Trabalho Escravo (Conaete), Ulisses Dias Carvalho.
FONTE: Com informações de Veja e foto de Falando Verdades