STELLA REVISA POLÍTICA DO CONVÊNIO MÉDICO E POSSIBILITA A INCLUSÃO DE TODOS OS SEUS GRÁFICOS NESTE BENEFÍCIO

Em reunião com o Sindicato da categoria (Sindigráficos), o proprietário da gráfica Stella, localizada em Caieiras, decidiu rever o plano de saúde dos trabalhadores. E a mudança era uma exigência dos próprios funcionários. Diante de aumentos frequentes de valores, a metade dos profissionais já não conseguia pagá-lo, mesmo com a gráfica arcando com 50% do valor. A empresa assumiu (e cumpriu) o compromisso de buscar outro convênio médico com faixas de adesão com valores e serviços ao alcance de todos.

A empresa cumpriu o prometido ainda este ano. Os gráficos estão muito satisfeitos. Todos os 27 funcionários (e seus familiares) voltaram a estar protegidos neste quesito de saúde. Todos já aderiram ao novo convênio. O plano oferecido é da empresa Notredame. Com preços mais acessíveis, os trabalhadores, inclusive os com salários menores, estão em condições financeiras de bancar. E a gráfica Stella continua pagando um subsídio significativo. “A empresa paga R$ 400 para cada gráfico. E o novo convênio é compatível com o anterior. E ainda é possível incluir mais gente como nosso dependente. Ficou bem melhor do que estava”, comenta Carlos Martins, diretor sindical e trabalhador da gráfica Stella.

Antes da mudança de convênio, os preços altos impediam que boa parte dos empregados mantivessem o plano de saúde. Os trabalhadores e seus familiares estavam desprotegidos. E para piorar, o valor ainda aumentou alguns vezes este ano. “Contudo, depois da reunião conosco, o dono da Stella foi sensível ao nosso pedido. Ele trocou de convênio possibilitando aos empregados a escolha da faixa de valores para adesão e serviços, o que garantiu com que todos voltassem a ter convênio médico com o valor mais barato”, comenta Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos.

Os trabalhadores ficaram muito satisfeitos com a atuação do sindicato. “A entidade fez um ótimo papel em nosso favor. Agora ficou muito bom”, diz o gráfico da Stella, Claudinei. Para o trabalhador Marcelo Marques, o antigo convênio médico não estava compatível: dava um grande desfalque no salário; já o novo plano ficou bom para todos. A mesma opinião tem o gráfico André. Está contente em ver a empresa atender à reivindicação dos trabalhadores através do sindicato.

O Sindicato informa ainda que a Stella também tem cumprido outra ação em favor dos trabalhadores. A empresa fez um acordo para garantir todas as seis folgas pendentes dos empregados. Os descansos remunerados já estão sendo garantidos de acordo com o dia escolhido pelo profissional. O direito foi concedido com base na cláusula 51ª da Convenção Coletiva de Trabalho da classe. A folga é obrigatória quando o gráfico compensa todos os dias da semana como se o sábado não fosse um feriado, e nem a empresa paga a hora-extra, como ocorreu no local desde o ano de 2015.

“Deu para ver que a gente tem força através da atuação do sindicato. Gostei muito de ver isso e saber que temos força juntos. O sindicato foi muito importante nisso tudo”, diz Jonathan, gráfico da Stella. Para a trabalhadora Geovânia, ambos os acordos mediados pelo Sindicato atenderam a necessidade dos funcionários e levaram em conta a situação da empresa. “Ficou bom para a Stella e para nós. No caso das folgas mesmo, como o patrão não tinha como pagar em hora-extra, foi compensado em descansos remunerados”, ressaltou satisfeita.