Tag Archives: CONATIG

UNI Américas Sindicato Global realiza seminário em pareceria com a CONATIG

1782108_619639338145761_365839171906090872_n

Entre os dias 18 e 19 de outubro, o CONATIG em parceria com a UNI Américas Sindicato Global realizou uma rodada dupla de seminário na colônia de férias do STIG São Paulo. Na ocasião, onde compareceram trabalhadores (as) e cipeiros (as) de vários locais do Brasil, foram debatidos dois temas: Saúde e Segurança do Trabalho e Não Discriminação contra a Mulher.

Esta é mais uma iniciativa articulada pela UNI Gráficos e Embalagens Américas, que já realizou seminários em vários países da América Latina.

Gráficos iniciam Campanha Salarial pela Log & Print

DSC_0153

Os Gráficos do Estado de São Paulo iniciaram nesta quarta-feira, dia 24, a Campanha Salarial Unificada da categoria, através de assembleias realizadas com os trabalhadores da empresa Log & Print, em Vinhedo. A atividade encabeçada pelo Sindicato dos Gráficos de Jundiaí e região contou com o apoio dos sindicatos de Guarulhos, Sorocaba, Taubaté, Piracicaba, Campinas, São Paulo, além do Sindicato dos Bancários de Jundiaí e região.

A categoria reivindica 6% de aumento real e 100% da inflação acumulada no período de 1º de novembro de 2013 e 31 de outubro de 2014, além da manutenção de cláusulas preexistentes na Convenção Coletiva. Neste ano os gráficos irão bater de frente com a rotatividade nas empresas, que cresceu 82% em 2013. (Veja as principais reivindicações abaixo)

DIA NACIONAL DO GRÁFICO: 91 ANOS DE MUITA HISTÓRIA E LUTA

Passeata dos Trabalhadores_1917

O dia 7 de fevereiro é marcado como o DIA NACIONAL DO GRÁFICO em razão da heroica vitória da greve dos gráficos, realizada em 1923, em São Paulo. A categoria aplicou a maior derrota na classe patronal na história do Brasil.

Mas os gráficos não são lembrados apenas por essa greve, ao contrário, a nossa classe trabalhadora é responsável pelas principais paralisações do país.

Brasil_ImpérioA primeira greve de expressão foi promovida por gráficos ainda no Brasil Império. Em 1858, eles pararam os jornais da capital nacional por melhores salários e denunciaram as condições de trabalho análogos à escravidão.

Os gráficos também estiveram a frente da greve operária de 1917 e 1929, consideradas marcos na história sindical. A greve de 1917 foi o primeiro conflito expressivo e organizado pelos trabalhadores contra o Estado em busca de direitos. Já a greve de 1929 durou 72 dias e é até hoje a mais longa da história.

A greve da categoria iniciada em 7 de fevereiro de 1923 refletiu em uma mudança da desigual história do trabalhador, que até então só tinha o direito de trabalhar. Não podia reclamar, nem mesmo com uma carga-horária de aproximadamente 100 horas semanais.

Greve dos Trabalhadores_Industrialização

Esse basta iniciado há 91 anos, garantiu que fossemos a primeira categoria profissional a conquistar direitos de se representar enquanto entidade sindical e ter uma convenção coletiva do trabalho, antes mesmo da consolidação das leis trabalhistas no Brasil.

Os gráficos desbancaram a injustiça social brasileira, através deste movimento grevista, promovido pela União dos Trabalhadores Gráficos (UGT) e liderados por João da Costa Pimenta.

EVOLUÇÃO TECNOLÓGICA

Atualmente a evolução tecnológica encobre uma faceta perversa do mercantilismo liberal: o lucro acima de tudo, inclusive sobre aqueles que são a principal parte da empresa, os gráficos.

Nossa categoria convive com a política da precarização do ambiente de trabalho, com processos de terceirização e com a prática da redução salarial, através da rotatividade da mão de obra, gerando significativa desvalorização profissional.

Realmente a tecnologia avançou bastante de Gutenberg até a era da informática, no entanto os benesses não estão sendo compartilhados entre patrão e trabalhador.

Diante desse cenário, o gráfico precisa reagir. A unidade e mobilização dos trabalhadores na era computacional deve garantir o legado de luta dos companheiros dos tempos do tipógrafo.

Ampliar e não reduzir nossos direitos é a maior lição deixada para os gráficos ao completar 91 anos da histórica batalha iniciada em 7 de fevereiro.

A LUTA NÃO PODE PARAR

Não podemos apenas viver do passado combativo, esquivando dos desafios contemporâneos. É necessário continuar na luta por dias melhores.

Vamos lutar contra o atual rebaixamento salarial da categoria que atinge todo o país. Vamos marcar posições contrárias às tentativas de descaracterização do trabalho gráfico por meio de fraudes de terceirizações de cooperativas de trabalho e do malfadado banco de horas, além de lutar contra as práticas de reduções de salários por meio da rotatividade da mão de obra, contrato de trabalho temporário.

Também se faz necessário à luta pelo enquadramento sindical de funcionários na condição de gráficos, em função do avanço tecnológico, que possibilitou o advento das gráficas rápidas e de empresas de outros gêneros que também realizam serviços gráficos.

Ainda é necessário promover ações de defesa da segurança do ambiente profissional da categoria, entre outros.

Viva a classe trabalhadora gráfica!!!

Viva o dia 7 de fevereiro, Dia Nacional dos Trabalhadores Gráficos!!!

Parabéns a todos os Trabalhadores Gráficos!!!

Leandro Rodrigues e Leonardo Del Roy tomam posse no Conselho Nacional dos Gráficos

CONATIG

No dia 13 de junho ocorreu a posse da nova diretoria da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Indústria Gráfica, da Comunicação Gráfica e dos Serviços Gráficos. O Sindicato dos Gráficos de Jundiaí e Região será representado pelo diretor Leonardo Del Roy, reeleito para presidente, e o presidente dos Gráficos de Jundiaí Leandro Rodrigues, eleito diretor da regional sudeste.

As eleições para a escolha da nova diretoria ocorreu no dia 8 de maio e o mandato é válido até junho de 2017.

“Aceitamos mais um desafio, este trabalho consiste em representar os gráficos no âmbito Nacional. De minha parte farei o possível e trabalharei com bastante determinação”, afirma Leandro.