TRABALHADORES DA DEKORACE SERÃO RECONHECIDOS COMO GRÁFICOS E PASSARÃO A POSSUIR IGUAIS DIREITOS DA CLASSE

Em 30 dias, mais trabalhadores da região serão reconhecidos enquanto gráficos e passarão a ter um conjunto de direitos coletivos superiores à Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). A informação foi confirmada pela empresa Dekorace em Itupeva, semanas depois do esclarecimento do Sindicato da categoria (Sindigráficos) sobre o devido enquadramento dos trabalhadores. A Dekorace é responsável pela impressão de rótulos em embalagens plásticas produzidas pela empresa Depack, localizada na mesma cidade. Uma reunião entre o sindicato e a Dekorace ocorrerá nas próximas semanas para a conclusão do processo onde garantirá aos 42 empregados os mesmos direitos e pisos salarias dos gráficos da região.

“Esta será a segunda gráfica nas últimas semanas que passará a garantir os direitos de nossa Convenção Coletiva de Trabalho após identificarmos o enquadramento sindical das empresas em nossa região”, conta Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos. A primeira foi a Brasgraphics em Valinhos. Em breve, tudo estará concluído por lá. O mesmo ocorrerá na Dekorace. A empresa acaba de se desmembrar da Depack. A Dekorace atua com atividades econômicas exclusivamente do setor gráfico, razão pela qual todos seus funcionários passarão a ser considerados gráficos. Já na Brasgraphics, a maioria dos trabalhadores serão enquadrados. Só não serão todos porque uma parte não atua nas áreas de impressão, pré-impressão, acabamento gráfico ou afins, mas em outro tipo de segmento.

O enquadramento sindical dos empregados da Depack enquanto gráficos está em processo evoluído. A empresa tem um escritório em Jundiaí. Uma reunião deve ser realizada na sede regional do Sindicato na mesma cidade. O responsável pelos Recurso Humanos da gráfica já se comprometeu em realizar o encontro para finalização dos detalhes. Por e-mail, já confirmou tudo. Sem o adequado enquadramento sindical dos trabalhadores na sua categoria profissional, os funcionários atuariam como gráficos, mas sem os mesmos direitos e salários correspondente à referida atividade. Após a conclusão, ficará faltando somente que os agora gráficos regularizados se sindicalizem para a consolidação do processo e a garantia dos direitos, como cesta básica mensal, PLR e piso de ingresso superior a R$ 1,5 mil.

Outras várias empresas da região não enquadradas corretamente foram notificadas pelo Sindicato nos últimos meses. A ação integra a campanha de valorização da categoria gráfica. A entidade de classe age para acabar com a tentativa de gráficas que buscam sonegar os direitos coletivos dos gráficos através da descaracterização sindical dos profissionais gráficos. Isso ocorre quando o funcionário trabalha com impressão, pré-impressão, acabamento gráfico e afins, mas a empresa diz que ele é de outra classe de profissionais, como comerciário, químico, metalúrgicos e outras mais. O gráfico perde muito quando isso acontece. Denuncie ao Sindigráficos!