APÓS CONQUISTAR REAJUSTE ATÉ DA PLR, SINDIGRÁFICOS CONVOCA CLASSE PARA AVALIAR PROPOSTA EM ASSEMBLEIA SEGUNDA-FEIRA

Depois de 8 anos congelada, o valor da PLR pode voltar a ser reajustado. Essa foi uma das novidades durante as difíceis negociações do sindicato com o patronal na campanha salarial deste ano de carestia até da comida. Por isso, na 3° rodada nesta quinta-feira (15), o Sindigráficos defendeu a proposta não só da manutenção da cesta básica e dos demais direitos coletivos por mais um ano, inclusive a PLR, mas com reajuste dessa vez. Foi o meio encontrado pela entidade para compensar a insistência dos patrões relativa ao parcelamento da recuperação salarial da categoria, segundo proposta então colocada. A decisão final será dos trabalhadores na assembleia, na sede regional do Sindigráficos em Jundiaí/SP, às 19h, na segunda-feira (19). PARTICIPEM!

Se aprovada a proposta, o salário da classe já virá maior no próximo dia 5. O aumento será de 5% a partir da folha salarial de setembro – mês da data-base dos gráficos de Cajamar, Jundiaí, Vinhedo e Região, como também dos da maioria no estado de São Paulo. Outro reajuste voltará a ocorrer a partir da folha salarial de janeiro/23, com percentual de 3,65%. O somatório desses dois aumentos corresponderá às perdas salariais com base na inflação dos últimos 12 meses, de setembro/21 a agosto/22.

“Diante do parcelamento, cobramos do patronal uma extra pauta de reivindicação em defesa dos gráficos de modo a compensar certas perdas pelo não reajuste salarial de 8,83% de uma única vez na data-base”, diz Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos. Foi então aceito não só manter as duas parcelas da PLR, como também terão reajuste de 7%. Se aprovada pela classe, o valor da PLR será destravado após 8 anos. 

Na proposta final do patronal que será analisada na assembleia pelos trabalhadores no Sindigráficos, o sindicato também lutou e conseguiu manter todos os direitos coletivos da categoria por mais um ano. Dentre eles, a cesta básica mensal, a hora-extra de 65% e 100% a depender do dia, o adicional noturno de 35% e outros mais de 80 direitos acima da Lei Geral do Trabalho no País (CLT). Juntos somos fortes. Sindicalize-se!