DIRETORIA DO SINDIGRÁFICOS ENXERGA 2023 DE FORMA OTIMISTA COM A MUDANÇA DE GOVERNO E CONVOCA OS GRÁFICOS PARA O FORTALECIMENTO SINDICAL

Falta pouco para a chegada do Ano Novo. Véspera de Natal já é amanhã. Felizmente, 2022, ano marcado pela carestia, está no fim. Mas também foi um ano onde o Sindigráficos teve que lutar ainda mais em defesa da manutenção da Convenção Coletiva, do reajuste salarial, descongelamento da PLR, cesta básica e demais direitos de toda a categoria. A passagem do ano marca o adeus do governo Bolsonaro, causador dos problemas para o trabalhador nos últimos anos. Felizmente, Bolsonaro sai e entra Lula, que, mesmo ainda não sendo presidente, já conseguiu negociar a mudança na Constituição para trazer de volta o ganho real no salário mínimo em janeiro/23, o que ajudará na distribuição de renda e na retomada da economia e emprego. Isso será vital para ajudar os gráficos quando chegar a campanha salarial em setembro do próximo ano, não só na melhoria da renda, mas também nos direitos e condições de trabalho. Mas a categoria precisa estar mais unida e organizada no seu sindicato.

A expectativa é boa, pois, o presidente eleito Lula assumiu o compromisso de reindustrializar o Brasil, gerar novos empregos, bem como revogar vários pontos das reformas Trabalhista e Previdenciária. Mas, precisará do apoio dos trabalhadores. O apoio dos trabalhadores deve iniciar através da participação nas ações sindicais e no autofinanciamento para manter a luta pelos melhores salários, direitos, condições laborais e pôr comida na mesa. Por sinal, estas lutas foram intensificadas pelo Sindigráficos em 2022, mesmo ainda com a pandemia e fragilizado pelas medidas antisssindicais de Bolsonaro.

O Sindigráficos, diferente da maioria do movimento sindical, apostou na volta do trabalho presencial diário nas suas bases. Os sindicalistas conversaram mais com os gráficos na porta das empresas sobre as pautas e demandas centrais deles, evitando o descumprimento salarial e dos direitos coletivos. Conseguiu inclusive fazer com que o valor do vale-compras da cesta básica da convenção fosse corrigido em dezenas de empresas da região, bem como a garantia de dezenas de outros direitos convencionados. A produção e a entrega do jornal Gráficos na Luta passaram a ser bimestrais. Com isso, ampliou o contato do sindicato com o gráfico.

A perspectiva para 2023 se mostra ser positiva em relação aos últimos anos com uma política diferenciada para a classe trabalhadora com um possível efeito positivo sobre toda a cadeia produtiva com a volta de Lula. Mas, na vida cotidiana dos gráficos, como já está demonstrado em 2022, será sempre preciso contar com a atuação do Sindigráficos – entidade que só pode existir enquanto houver trabalhadores sindicalizados para garantir o trabalho diário da direção eleita em prol da categoria em 2023.

Seja mais um sócio. Sindicalize-se e ajude para fazer um Natal Solidário com Comida no Prato e o Ano Novo com Lutas, Conquistas e Paz Social.