EMEPÊ RECUA EM OBRIGAR TRABALHO DOS GRÁFICOS NO FERIADO AMANHÃ DE CORPUS CHRISTIS APÓS INTERVENÇÃO DO SINDICATO

A empresa tentou passar por cima dos empregados e obrigá-los a trabalhar no feriado de Corpus Christi, desta quinta-feira (16), mesmo sendo um dos feriados de Vinhedo, município onde a gráfica funciona. Tudo foi descrito em comunicado da Emepê aos gráficos. A situação só mudou há poucos dias, depois do Sindigráficos intervir e apontar tamanha ilegalidade. Só assim a empresa recuou e emitiu um outro informe revendo a sua posição inicial e assim pedindo desculpas e o feriado foi restabelecido para todos.

A Emepê já foi uma das empresas mais cobiçadas para se trabalhar, mas mudou e vem atentando contra a organização sindical dos gráficos, colocando até uma psicóloga para conversar com quem se sindicaliza. Mesma prática, diz o Sindigráficos, tem uma funcionária antiga do RH que usa o nome de Deus, inclusive para prejudicar os trabalhadores.  O Sindicato estuda denunciar estas práticas até aos clientes da gráfica. Também não descarta convocar a CUT e todo o movimento sindical para realizar um grande protesto na frente da empresa para mostrar à sociedade e aos clientes todos os desmandos realizados pela Emepê. 

O episódio mostra sobretudo para os trabalhadores que até o feriado esta empresa quer atropelar em desfavor da categoria. E evidencia, ainda, que apenas não conseguiu por conta da existência e da intervenção sindical. Demonstra que os gráficos podem enfrentar o unilateralismo para trazer benefícios a todos se não desistirem de darem as mãos e marcharem com o sindicato. “Se a Emepê voltou atrás no feriado, porque não pode ocorrer com relação ao PPR e outros benefícios? Basta estarmos juntos! Reflitam”, alerta Leandro Rodrigues, que é presidente do Sindigráficos.

Não adianta ficar acuado. O exemplo já está colocado. A Emepê buscou tirar até um feriado legítimo regulamentado por decreto municipal de Vinhedo. Todos têm que se sindicalizar. E partir para cima. Sem medos. O Sindigráficos mostrou para que serve e não vacila na hora de defender os empregados.

“Mas é preciso correlação de forças maior. Com sindicalizados, podemos, quem sabe, restabelecer nossa PPR. Ademais, o acordo coletivo referente à jornada de trabalho está chegando ao fim sua validade, será necessário que estejamos fortes para mantê-lo, até porque a Emepê já está dando todos os sinais de sua nova postura. Portanto, não se iludam: a conquista será do tamanho da unidade, da organização e da luta”, fala Leandro.

Nas próximas semanas, o Sindicato estará inclusive denunciando a Emepê por práticas antissindicais. Leandro adianta que a entidade sindical estará acompanhando se possível até na porta da empresa essa situação. “Mostremos, se necessário, para os clientes da gráfica e para a sociedade da cidade de Vinhedo todas as políticas de RH que esta prática antissindical tem oprimido a classe”, finda Leandro.