SURGE DENÚNCIA DE DEFASAGEM SALARIAL NA TURMALINA APÓS RAMI PAGAR DIFERENÇA POR ATRASO NO REAJUSTE DOS GRÁFICOS

Desde setembro, após a luta sindical da categoria na campanha salarial, todo gráfico teve 5% de reajuste. O piso subiu para R$ 1.998,12. Porém, houve gráficas que descumpriram a nova convenção de direitos em vigor. A Rami, por exemplo, onde cresce o número de gráficos sindicalizados, teve que pagar o reajuste no salário de outubro e diferença de setembro, depois de denúncia ao Sindigráficos. E no mês passado, quando visitou os gráficos da Turmalina (Indaiatuba), o Sindicato recebeu denúncias de que na empresa continua sem o aumento salarial. O caso está sendo apurado.

Nos meses de setembro a dezembro, inclusive o 13° salário dos gráficos da Turmalina e das demais gráficas de Cajamar, Jundiaí, Vinhedo e região, devem ter reajuste de 5%. E a partir de janeiro/2023, terá de aplicar o complemento de 3,65%. Com isso, o menor salário passa a R$ 2.071,05.

Desse modo, o Sindigráficos enviou um ofício para a Turmalina explicar sobre a denúncia. Caso tudo esteja correto, basta mandar comprovante salarial dos trabalhadores com o devido aumento de 5%. Mas se não estiver correto, conforme a denúncia, será preciso corrigir de imediato. E pagar também todas diferenças dos meses em aberto, sob pena de agir fora da lei, uma vez que a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da classe tem força de lei, superior que à CLT.

A função diária do Sindigráficos e o seu funcionamento são cruciais para que todos trabalhadores possam ter quem os defendam junto à empresa. Além de lutar até conquistar a CCT com dezenas de direitos superiores à CLT e reajuste salarial, o Sindicato continua lutando em todos os dias para fazer com que as empresas cumpra a CCT e até a CLT. Portanto, não vacile, fortaleça a sua entidade de classe se sindicalizando. Juntos, somos fortes. SINDICALIZE!